Ranking aponta melhores CEOs da Europa e como eles lidam com a crise

Segundo a revista Institutional Investor, eles estão apostando em abordagem ativa, aumentando o diálogo com acionistas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os diretores executivos (CEOs) da Europa também estão enfrentando dificuldades por conta da crise global da economia. Eles estão fazendo sacrifícios para aumentar o nível de eficiência e muitos deles têm se destacado pela postura ativa.

Os profissionais de destaque foram listados no ranking dos Melhores CEOs da Europa 2009, promovido pela revista Institutional Investor. O principal item em comum identificado foi que eles têm uma abordagem ativa diante da crise, por meio do aumento do diálogo com os acionistas e da busca por novas áreas de crescimento.

O ranking é baseado nas respostas de mais de 450 analistas de pesquisa e gerentes de portfólio das 290 principais firmas de gestão de bens. Os vencedores* foram separados por segemento de atuação (matéria-prima, consumo, energia, instituições financeiras, indústria, farmacêutica e cuidado com a saúde, tecnologia, mídia e entretenimento).

Importância da comunicação

Aprenda a investir na bolsa

O dirigente da AXA, Henri de Castries, apontado como o principal executivo do setor de seguros, descobriu a importância de manter um contato com os acionistas quando os papeis de sua empresa foram afetados pela crise.

Ele não poderia fazer muito, a não ser pegar o telefone ou um avião e falar com os investidores e analistas para reforçar que a AXA de Paris, a segunda maior seguradora da Europa, tinha evitado os derivativos que causaram os problemas da AIG e que o setor de seguros estava indo bem. “Para quem esqueceu, a crise também foi uma lembrança de quão essencial é a comunicação nos tempos difíceis – comunicação com o staff, com os clientes e com os investidores”, disse.

Já o CEO da cervejaria SABMiller (Londres), Ernest Mackay, considerado o CEO número 1 de seu setor, disse que teve de cuidar dos seus atacadistas, já que muitos não estavam conseguindo empréstimos bancários, devido à retração do crédito. A solução da empresa foi ela mesma emprestar. “Se o nosso produto não chega no mercado, os atacadistas desaparecem”, afirmou.

* A lista completa dos vencedores está no site http://www.iimagazine.com/rankings/rankingsCorpCEOEurope09.aspx