Rais 2007 contabiliza 2,45 milhões de empregos formais

No ano passado, todos os setores da economia apresentaram expansão no emprego. Serviços foi o destaque, com 705,9 mil empregos (+6,29%)

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Brasil gerou 2,452 milhões de postos de trabalho em 2007. Desse total, 2,074 milhões foram com carteira assinada e 378,3 mil com vínculos empregatícios estatutários.

É a primeira vez na série estatística da Rais (Relação Anual de Informações), iniciada em 1985, que a soma dos empregos criados supera a casa dos 2 milhões.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (6) pelo ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi. “Em 2007, alcançamos a marca de 37,6 milhões de empregos formais (6,98% a mais do que o registrado em 2006). A nossa expectativa é de que a Rais 2008 anuncie 40 milhões”, disse ele.

O trabalho formal celetista

Aprenda a investir na bolsa

Entre 2003 e 2007, a geração de emprego atingiu os 8,923 milhões, segundo a Rais. Se for levado em conta o resultado obtido pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), que compreende apenas o mercado formal celetista, entre janeiro e setembro deste ano, o montante de empregos gerados soma 11,010 milhões.

A diferença encontrada entre os dados do Caged e os da Rais pode ser explicada pela cobertura desta última, superior à do Caged, pela exclusão das declarações deste registro entregues fora do prazo no cômputo da geração de empregos e também pela presença de outros tipos de vínculos empregatícios informados na Rais e não contemplados pelo Caged.

Setores de atividade econômica

No ano passado, todos os setores da economia apresentaram expansão no emprego. Serviços foi o destaque, com 705,9 mil empregos (+6,29%), desempenho atribuído em grande parte aos subsetores Comércio e Administração de Imóveis (+62,9 postos ou +10,79%), Serviço de Alojamento e Reparação (+158,8 mil postos ou +5,34%) e Serviços de Transporte e Comunicação (+126,2 mil postos ou 7,17%).

A maior taxa de crescimento no ano ficou por conta da Construção Civil, que apresentou variação relativa de 16,11% em 2007, o equivalente a 224,5 mil empregos, resultado 130% acima da média nacional (+6,98%). Por sua vez, Indústria de Transformação apresentou 487,4 mil novos empregos (+7,39%).