Rádio peão pode arruinar carreiras: veja como usá-la a seu favor!

"As pessoas se desgastam e até ficam com problemas de saúde por causa de uma informação que nem é correta", diz consultora

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – No marketing boca a boca, as pessoas preferem ouvir a opinião que seus amigos têm de determinadas marcas do que acreditar no que viram no anúncio da televisão. Podemos dizer que o mesmo ocorre com a rádio peão. Ela está longe de ser um canal oficial, mas o fato é que os profissionais dão muita atenção às conversas de corredor.

“Às vezes, as pessoas se desgastam e até ficam com problemas de saúde por causa de uma informação que nem é correta”, explica a socióloga e consultora organizacional do Idort/SP, Tânia Zarpelão.

É verdade que, muitas vezes, a rádio peão acerta e dá as notícias em primeira mão. Mas, dependendo da informação, pode ser gerado um clima de tensão tão forte entre os envolvidos que a produtividade dos funcionários acaba caindo. “Além disso, podem haver conflitos entre as pessoas. Fica aquilo de quem disse, quem não disse”, diz Tânia.

Saiba usar a rádio peão

PUBLICIDADE

A boa notícia é que é possível utilizar a rádio peão a seu favor, amenizando seus danos. Caso uma informação que te prejudica chegue até você, converse com as pessoas, se defenda e tente identificar sua origem, “cortando o mal pela raiz”, recomenda a consultora.

Outra forma de se beneficiar com a rádio peão é separando as informações úteis das inúteis. “De repente, pode aparecer uma notícia até interessante para você. Por exemplo, você ouviu que a empresa começará a pagar cursos para os funcionários, ou que está pensando em mandar alguém para sua filial no exterior. Caso se interesse pela oportunidade, procure seu chefe ou o Recursos Humanos, pergunte se a informação é verídica e se candidate”, diz Tânia. “O que não pode é se candidatar sem saber se a informação era verdadeira”, acrescenta.

Segundo a consultora, é importante, quando se trata de rádio peão, verificar o que é real e o que é imaginação. Isso porque, ao passar de boca em boca, a notícia pode aumentar a até mudar completamente.