Mercado Financeiro

Quer trabalhar no mercado financeiro? Saiba como se tornar um assessor de investimentos

Carreira tem atraído profissionais de diferentes áreas com promessa de boa remuneração, flexibilidade e propósito

Por  MoneyLab -

Com o rendimento da Selic perdendo para a inflação, investidores buscam cada vez mais alternativas à renda fixa, diversificando seus investimentos com fundos, ações e outros ativos de renda variável. Mas como saber no que investir e qual o melhor timing? Neste contexto, tem aumentado e muito a demanda por um profissional ainda desconhecido pela maior parte dos brasileiros: o assessor de investimentos.

A profissão de assessor de investimento ainda engatinha no Brasil, com cerca de 5% dos investimentos do país feitos via assessoramento de um profissional da área. Para efeito de comparação, esse número está em torno de 95% nos Estados Unidos, segundo Bianca Juliano, CCO da Xpeed School.

Diante de um mercado ainda pouco explorado no Brasil, Bianca vai ministrar o curso “Carreira no Mercado Financeiro”, que trará aos alunos a perspectiva de se trabalhar no mercado financeiro como assessor de investimentos, com lições sobre questões técnicas, mas principalmente sobre relações interpessoais.

O curso é gratuito e busca desmitificar a noção de que apenas pessoas com inclinação para a área de exatas podem assumir cargos no mercado financeiro. Inscreva-se agora.

Perfil e habilidades

“Um bom assessor de investimentos precisa não só conhecer o mercado financeiro, macroeconomia e as classes dos ativos, mas também ter atitude proativa para se relacionar com pessoas. É preciso se comunicar de forma fácil e acessível tanto para aqueles que são seus clientes quanto para quem você está tentando transformar em cliente,” explica Bianca.

A busca ativa por clientes é parte vital do trabalho de um assessor de investimentos, que tem sua remuneração muitas vezes baseada na quantidade e na qualidade de seus clientes. De nada adianta um vasto conhecimento técnico se o assessor não consegue captar novos investidores. O contrário também é verdadeiro, já que você precisa demonstrar conhecimento técnico para manter os clientes.

A necessidade de conciliar conhecimento técnico com boa comunicação faz com que o assessor de investimento precise aprimorar principalmente três competências: conhecimento, habilidade e atitude.

“Quem só sabe a parte técnica não vai se dar bem na profissão porque a parte comercial é necessária para traduzir o mercado para o cliente da melhor maneira,” disse Felipe Gualberto, que se tornou assessor após cursar o MBA em Investimentos e Private Banking, da Xpeed e do Ibmec.

Mudança de carreira

Felipe Gualberto é um dos muitos exemplos de pessoas que hoje atuam como assessores financeiros, mas cuja carreira não começou no mercado financeiro.

“Trabalhei durante 12 anos na área de logística, caí nessa área aos 18 anos e fiquei até os 30, quando resolvi me dedicar a algo que gostava muito, que era o setor de investimentos. Comecei a me preparar financeiramente para sustentar a transição, já que iria sair de uma posição consolidada para uma nova função,” disse Felipe, que conseguiu em um primeiro momento conciliar o emprego antigo com os estudos, mas depois teve que abdicar do emprego de anos para se dedicar a nova função.

Antes mesmo de terminar o curso, Gualberto já conseguiu emprego. “Fui empregado quase no último módulo do curso, depois da feira de carreiras [evento organizado pela Xpeed para fazer a conexão entre alunos e empresas].”

O caso de Felipe não é exceção e aconteceu também com Mateus Galhardo, formado em direito em 2015 e que hoje trabalha como assessor na 3A Investimentos. Ele realizou sua transição de carreira após os cursos da Xpeed e também foi empregado na área antes do final das aulas.

“Comecei o curso em maio de 2020 e me programei para em novembro conseguir tirar a certificação da Associação Nacional das Corretoras de Valores (ANCORD, que regulamente a atuação de agentes autônomos no Brasil). Consegui o certificado e através do MBA da InfoMoney consegui entrar em contato com escritórios da área. Em janeiro estava começando um novo emprego em um novo setor,” disse Mateus.

Por conta do foco nas relações interpessoais, o MBA oferece módulos com fonoaudiólogas, pessoas para ajudar a falar em público e aulas de personal branding para auxiliar o aluno a se posicionar melhor para captar clientes.

Questionado sobre se arrepende de não entrar nesta área antes, Galhardo diz que tudo tem seu tempo. “Não me arrependo de ter feito direito, minha vivência no judiciário trouxe senso crítico. Tudo aconteceu na hora certa.”

Ficou interessado em trabalhar como assessor de investimentos? Essa é a sua oportunidade. Inscreva-se já no curso gratuito “Carreira no Mercado Financeiro”.

Compartilhe