Adeus!

Quer sair do emprego? Veja 12 maneiras erradas de pedir demissão

Seja qual for o motivo, uma hora ou outra é necessário decidir qual opção você irá escolher e cumpri-la da melhor forma possível

SÃO PAULO – Muitos profissionais já tomaram a decisão de pedir demissão em determinada fase da carreira. Seja qual for o motivo que provoca esse pensamento, o melhor a se fazer nesse momento é respirar fundo e sair da empresa da melhor forma possível. A escolha é muito importante, por isso confira o que você não deve fazer nesta hora:

1. No auge da raiva
Isso acontece quando a frustração do profissional chega a seu limite e ele não tem mais condições de se controlar emocionalmente. “Eu me demito” é sua válvula de escape e ele acaba fazendo isso da maneira errada falando o que não devia e fechando as portas atrás de si (e com elas futuras oportunidades).

2. Depois de um mico
Depois de fazer o que não devia no happy hour ou na festa de fim de ano da empresa, muitos profissionais sentem que não tem mais postura para ir para o trabalho. Enfim, eles destroem a imagem no escritório e não enxergam a possibilidade de reconstruir sua credibilidade. A demissão, portanto, representa a possibilidade de um recomeço.

PUBLICIDADE

3. Desafios demais
Por incrível que pareça, pedir demissão alegando que o trabalho é difícil ou pesado demais é uma prática muito comum. A expectativa desses profissionais é a de que possam simplesmente cumprir o mínimo de suas funções e ir embora. Entretanto, para que uma carreira possa se desenvolver, os desafios são mais que necessários.

4. Você é muito novo
Jovens que trabalham por opção, não por necessidade, e se cansam da rotina do trabalho costumam apresentar uma rotatividade muito intensa entre empregos. Infelizmente, esse tipo de postura não é bem vista pelos recrutadores, pois mostra falta de comprometimento e responsabilidade.

5. Um sonho
Sem pensar duas vezes, muitos trabalhadores apostam todas as cartas em um sonho que deixaram de perseguir ou tiveram vontade de realizar. Infelizmente, depois que as contas começarem a chegar, eles começam a perceber que o dinheiro não é “opcional” e que o trabalho, na realidade, deve ser encarado como aliado dos sonhos, e não seu inimigo.

6. Você será demitido
O chefe avisa que o profissional será demitido em alguns meses, e ele decide sair da empresa por conta própria e distribuir currículos para as vagas que aparecerem em seu caminho. É claro que o empregado deve tomar suas próprias providências, mas esperar pela confirmação dessa decisão e pelos possíveis benefícios que ela pode trazer é mais recomendável do que sair de repente.

7. Vida pessoal
Quando a vida pessoal precisa de atenção total, e alguém decide sair do emprego para investir mais tempo nos problemas ou quaisquer que sejam as circunstâncias de sua vida, muitas pessoas optam por sair completamente do mercado de trabalho. Infelizmente, os problemas nunca param de chegar e alguma coisa sempre estará fora do lugar. É importante que, antes de tomar tal decisão, o profissional procure por alternativas dentro da empresa, como a redução da jornada de trabalho, por exemplo.

8. Incompatibilidade ética
Uma situação no trabalho se transforma em algo ruim suficiente para que o profissional alegue incompatibilidade ética e vá embora. Em alguns casos, essa decisão se faz necessária. Entretanto, esta não deve ser a primeira opção se é possível resolver o caso com medidas menos drásticas.

PUBLICIDADE

9. Um novo empreendimento
Dedicar-se a um novo empreendimento e realizar o sonho de ser o próprio chefe é algo muito bom. Porém, isso não significa que o emprego atual deve ser completamente descartado. Principalmente na fase inicial das empresas, o profissional deve ter alguma fonte de dinheiro alternativa, caso a situação financeira fique mais apertada e seja necessário recorrer a essas finanças.

10. Você tem mais valor
Para muitos profissionais, o chefes, o salário ou o ambiente de trabalho não são suficientes para suas capacidades profissionais e, por conta disso, eles decidem quem têm valor demais para perder mais tempo na empresa. Essa postura, no entanto, revela pouca perspectiva, já que na maioria das vezes as empresas possuem planos de carreira que permitem que o profissional se desenvolva e utilize todas as habilidades. Se este não é o caso, a demissão pode ser uma possibilidade. Entretanto, é necessário explorar as opções para que uma porta não se feche.

11. Você não se encaixa
Algumas pessoas enfrentam crises profissionais em que passam a questionar a validade de todas as decisões feitas até o momento. É claro que nada na vida deve ser aceito de forma passiva, sem questionamento e reflexão. O problema acontece quando os aprendizados passados são ignorados ou menosprezados por conta da crise atual. Esse tipo de mentalidade leva a decisões desesperadas, como o caso da demissão.

12. Você quer mais
É muito bom querer mais, lutar por novos desafios e responsabilidades. Mas é importante manter os pés no chão e não deixar as expectativas ultrapassarem a realidade de suas responsabilidades e obrigações. Antes de pedir demissão, reflita em todos os caminhos que o emprego atual pode levá-lo e como essas possibilidades se encaixam com seus planos para o futuro.

Veja mais matérias de Carreira no Universia.