Quer abrir seu negócio em 2011? Saiba quais fatores merecem atenção!

Erro fatal é considerar que montar uma estratégia significa somente fidelizar os clientes pelo valor do produto ou serviço oferecido

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – No final do ano, é comum as pessoas refletirem sobre as conquistas e as dificuldades que ocorreram, tanto na vida pessoal como na profissional. É neste período também que os profissionais analisam seus desejos para o ano seguinte.

Muitos planejam estudar no exterior, começar um curso de pós-graduação, de línguas ou até mesmo ser seu próprio chefe. Mas abrir uma empresa não é tarefa fácil. É necessário elaborar uma estratégia.

O consultor do Sebrae-SP, Wlamir Belo, afirma que um erro fatal cometido pelos empreendedores é considerar que montar uma estratégia significa somente procurar fidelizar os clientes pelo valor do produto ou serviço oferecido.

Aprenda a investir na bolsa

“Quando o empresário faz esta prática, ele está focando em uma parcela do mercado que é muito suscetível a preço. E cliente fiel a preço é fiel a preço, não enxerga valores agregados à empresa”, afirma.

Planejamento
O especialista aconselha ainda que o profissional que deseja montar a sua empresa faça um planejamento. Ele explica que planejar significa criar uma guia de ações para direcionar a gestão do negócio, visando atingir resultados com o máximo de eficiência dentro de um período pré-determinado.

Alguns itens são fundamentais para elaborar um planejamento, como conhecer as necessidades dos clientes e dos possíveis clientes por meio de um monitoramento constante; descobrir quem são os concorrentes; elaborar uma estratégia e buscar os recursos para adotá-la e atender o mercado.

Já o consultor do Sebrae-SP, Reinaldo Messias, acrescenta que o planejamento não deve ser limitado somente ao processo de abertura da empresa. Ele deve acompanhar a história do empreendimento, desde uma festa de confraternização até uma grande ação, como exportação ou expansão da marca.

Dicas
Além destas orientações, Messias elaborou sete dicas para o profissional que deseja abrir a sua empresa. Confira:

“Pense” suas ideias no papel: planejar é um compromisso formal que o empreendedor assume com sua empresa, por isso, é importante que defina o planejamento como um documento operacional, no qual descreve o que pretende e como vai chegar lá, com prazos para cumprir, assim como o investimento necessário para executar;

PUBLICIDADE

Uma etapa de cada vez: um bom planejamento exige que algumas fases sejam realizadas, respeitadas e validadas. O empresário deve avaliar a oportunidade que pretende aproveitar, com olhar financeiro do investimento, lucro e prazo de retorno. Também calcular os recursos, financeiros e humanos, necessários para colocar o plano em prática;

A questão tempo: é muito importante delimitar prazos para cada tarefa do plano. Estabeleça prioridades, defina procedimentos, faça uma coisa de cada vez. Falta de objetivos claros e reuniões desnecessárias são alguns dos mais famosos “ladrões de tempo”;

Monitoramento sistemático: nenhum plano é imutável e muito menos é feito para ficar guardado na memória do computador. Ele deve ser validado, de tempos em tempos, pelos resultados que vai oferecendo. Caso os cenários e as condições mudem, os planos devem acompanhar a mudança;

Clareza e objetividade: mesmo se não for apresentar seu planejamento para ninguém, considere que a linguagem dever estar clara o suficiente para que outra pessoa entenda. Ainda que não tenha um sócio, discuta com outra pessoa, como um amigo ou consultor, suas ideias, antes de arriscar tudo somente pelo seu ponto de vista;

Sinal vermelho: quando o momento econômico é de crescimento, um planejamento incorreto pode até mesmo ser encoberto por condições favoráveis. Entretanto, quando os mercados se tornam mais competitivos e restritivos, um planejamento incorreto pode colocar em risco recursos financeiros preciosos, e até mesmo o fim das atividades da empresa;

Plano B: por fim, tenha sempre medidas para conter eventuais imprevistos, que podem comprometer o objetivo final. Uma dica é nunca consumir todo capital disponível (dinheiro, tempo e recurso) para apostar numa nova ideia.