Québec, no Canadá, está de olho nos profissionais brasileiros

Remuneração média inicial vai de US$ 40 mil a US$ 60 mil por ano, segundo diretora do escritório de imigração

SÃO PAULO – O Canadá, em especial a província de Québec, está de olho nos profissionais brasileiros. De 2008 para 2010, aumentou em 35% o número de brasileiros que imigraram para a região. Na prática, a relação é forte dos dois lados. 

Os brasileiros saem daqui com a promessa de bons salários e de uma carreira sólida no exterior. A remuneração média inicial vai de US$ 40 mil a US$ 60 mil por ano, por exemplo. Além desse fator, o próprio governo canadense custeia mil horas de aula de francês para os recém-chegados.

Do lado de lá, a situação é mais complicada. Mesmo sendo maior que o Brasil, o Canadá possui uma população de apenas 40 milhões de habitantes. No Québec residem 7 milhões deles. No ano passado, os canadenses experimentaram a maior taxa de nascimento de sua história: 1%.

Essas condições demográficas fazem com que o país sofra com a escassez de mão de obra. É aí que entram os brasileiros. De acordo com a diretora do escritório de imigração do Québec em São Paulo, Soraia Tandel, os profissionais daqui são muito bem vistos pelos empregadores canadenses. “O profissional brasileiro é qualificado,  tem bons estudos, facilidade para aprender o francês e boa experiência profissional. Além disso, é um povo muito acolhedor”, afirma.

Densidade
Em 2010, cerca de 1.200 brasileiros obtiveram o CSQ (Certificado de Seleção do Québec) para imigrar. O índice representa 85% de todos os candidatos selecionados no Cone Sul. “Esta proporção ajuda a explicar porque, em 2008, São Paulo passou a ter um escritório de imigração”, explica a diretora.

No entanto, para aproveitar as oportunidades de emprego em Québec, os profissionais devem, no mínimo, ter o domínio intermediário da língua francesa, idioma oficial da região, nível universitário ou tecnólogo, experiência profissional e preferencialmente idade até 35 anos.

O processo de seleção tem duração média de um ano e, no meio desse tempo, os aprovados, ainda no Brasil, têm curso de francês subsidiado pelo governo do Québec. Ao chegar no Canadá, o profissional será auxiliado no processo de inserção no mercado de trabalho e participará de cursos de capacitação gratuítos. A moradia não é custeada pelo governo.

De acordo com Soraia, as principais áreas que demandam mais profissionais são TI (Tecnologia da Informação), enfermagem, estatística, matemática, administração e contabilidade. A província recebeu um número recorde de imigrantes no último ano. De acordo com dados do governo, cerca de 54 mil pessoas de outras nacionalidades imigraram para o Québec, 10% a mais do que o registrado em 2009.