Quase 50% dos brasileiros com renda mais baixa acham que a educação melhorou

Segundo pesquisa, esse percentual é menor entre os brasileiros com renda entre dez e 20 salários mínimos (43,4%)

SÃO PAULO – A educação pública no Brasil apresentou melhoras para mais de 40% dos brasileiros, em cada faixa de renda.

De acordo com o Sips (Sistema de Indicadores de Percepção Social), divulgado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) nesta segunda-feira (28), 49,5% dos brasileiros com renda até dois salários míninimos acham que a educação pública melhorou, sendo estes os mais otimistas.

Já 49,2% daqueles com renda de mais de cinco até dez salários mínimos tiveram a mesma opinião, seguidos pelos brasileiros com renda entre mais de dois a cinco mínimos (48,8%), aqueles com renda acima de 20 salários mínimos (46,7%) e com renda de mais de dez até 20 salários mínimos (43,4%).

PUBLICIDADE

Os entrevistados com renda de até dois salários mínimos também são os que mais acreditam que a educação continua a mesma, com 31,2% das respostas. Além disso, os brasileiros com renda entre mais de dez até 20 salários mínimos são os que mais acreditam que a educação piorou, com 34,2% das respostas.

Regiões
Considerando as regiões do Brasil, a pesquisa aponta que o Centro-Oeste apresenta o maior percentual de entrevistados que acreditam que a educação pública no País melhorou (62,9%), seguido pelo Nordeste (56,2%), Norte (54,3%), Sul (42,9%) e Sudeste (40%).

A região onde há maior percentual de pessoas que acreditam que a educação está igual é o Sul, com 39,6% das respostas, seguido pelo Nordeste (29,1%), Norte (26,7%), Sudeste (23,9%) e Centro-Oeste (18,2%).

Já o Sudeste foi a região que apresentou o maior percentual de respondentes que afirmaram que a educação piorou (36,1%), seguido por Norte (19%), Centro-Oeste (18,8%), Sul (17,5%) e Nordeste (14,7%).