Quando vale a pena fazer outra faculdade ou uma pós-graduação?

Resposta para pergunta depende de situação em que se encontra profissional, além de recursos como tempo e dinheiro!

SÃO PAULO – Com o mercado de trabalho concorrido, é preciso pensar em maneiras de se diferenciar dos demais profissionais. Neste contexto, será que valeria mais uma pós-graduação ou uma outra faculdade?

De acordo com o Coordenador Geral dos Certificates e da Educação Executiva do Ibmec São Paulo, Marco Antônio Quége, escolher entre as duas qualificações depende de diversos fatores, como idade, tempo e dinheiro.

Outra graduação quando…

“Existem três situações em que o profissional deve fazer outra graduação. A primeira delas seria uma correção de rumo de carreira. Neste caso, a pessoa não estava satisfeita com o curso escolhido e, depois de terminado, resolveu mudar de carreira”, disse o coordenador.

PUBLICIDADE

Outro momento em que se faz apropriada a mudança seria quando o profissional tem vontade de atuar em outra área. Imagine que a pessoa fez Jornalismo, mas também quer ser advogada, ou fez Direito e quer trabalhar com contabilidade, é preciso ter base teórica para isto, o que se consegue com outra faculdade.

“Em casos muito precoces de graduação também é indicado. A pessoa termina a graduação com 20 ou 21 anos e tem espaço para investir em mais educação. Se preparar mais para o mercado. Neste caso, faz sentido ter outra graduação”, disse Quége.

Pós-graduação

Ainda de acordo com ele, a pós-graduação visa formar especialistas. Ela ainda faz parte de uma exigência do mercado em que a pessoa está inserida. “A pessoa precisa aprender determinado assunto, mas de uma forma mais rápida. A pós atende demandas de médio e curto prazo”, disse Quége.

Para exemplificar o fato de a pós-graduação ser uma exigência do mercado a curto prazo, o coordenador citou a expansão do mercado de capitais, que demandou profissionais que soubessem agir com o investidor e que não podiam demorar a ter esta habilidade. Diante disto, surgiram cursos de especialização de finanças, mercados de capitais de dois anos e meio.

Ele ainda explicou que para ingressar numa pós-graduação é preciso ter experiência profissional. “Você já sabe qual a área que pretende seguir e quer condições de atuar bem no mercado de trabalho”.