Psicólogo sem terapia: qual a função do coach?

Profissão existe há quatro anos no Brasil, mas ainda é pouco conhecida; ele ajuda o executivo a se tornar um líder, por meio de um plano de metas

SÃO PAULO – Profissão que começou a se difundir no Brasil há cerca de quatro anos, o coach – termo em inglês para treinador – ainda causa dúvidas quanto a sua função e formação. De acordo com o gerente no Brasil da DDI (Development Dimensions International), Neil Suchman, ele é como um psicólogo pessoal dos executivos, mas não tem a relação baseada em encontros de terapia.

O coach surgiu porque as empresas viram que outras técnicas, como leitura de livros e novos cursos, não adiantavam mais para o desenvolvimento dos executivos. Porém, uma pessoa acompanhando esses profissionais diretamente seria mais eficiente. “A função é ajudar de maneira pessoal o executivo. Para fazer transições de uma responsabilidade para outra ou entre estratégias. O coach ajuda para que [a transição] seja mais positiva. Para ter melhor resultado nos negócios”, afirmou.

O profissional ainda ajuda o executivo a se tornar um líder. “Porque uma coisa é ser gestor e outra é ser líder”. A diferença é que o primeiro precisa somente de conhecimento técnico e de experiência, mas o líder precisa mostrar resultados por meio das pessoas ou aprender como gerenciar os membros da equipe.

Procedimento

PUBLICIDADE

Em um primeiro momento, o coach faz o diagnóstico das competências e personalidades do executivo. “Existem profissionais que fracassam por características da personalidade e não por causa das habilidades, quando é muito perfeccionista, irredutível ou quer ser o centro das atenção, por exemplo”.

Depois, ele analisa e interpreta os dados coletados no diagnóstico, com base nas responsabilidades da pessoa e nas estratégias do negócio, e ajuda com um feedback. Os programas de coaching duram de seis meses a um ano e meio. No começo, o profissional conversa a cada quinze dias e, com o tempo, a freqüência vai diminuindo.

As análises devem levar a uma conclusão, que será concretizada em um plano de metas para o profissional.

Formação

Em geral, trabalham com serviço de coaching profissionais que ocupam posições gerenciais na área de RH (Recursos Humanos) ou que já estiveram à frente da diretoria de multinacional. “Tem que ser uma pessoa com experiência de vida e profissional, normalmente são sêniores. Deve entender muito bem do ser humano, porque trabalha com pessoas, e fazer o papel de psicólogo”.

Existem cursos internacionais para a profissão, como os da WABC (Worldwide Association of Business Coaches) e da ICC (International Coaching Community). No Brasil, existe o ICI (Integrated Coaching Institute), que também oferece cursos. Mas, de acordo com Suchman, nada se compara com a experiência.