AO VIVO Aprenda a se proteger das armadilhas do trading e gerir seu risco no mercado

Aprenda a se proteger das armadilhas do trading e gerir seu risco no mercado

Profissional precisa escolher a empresa, e não o contrário!

Apesar de tanto se falar de processo seletivo e apagão de talentos, profissional é quem deve escolher onde quer trabalhar

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – É essencial, antes de entrar em uma empresa, obter informações sobre ela. “Procure saber como a organização lida com seus clientes internos e externos e se seus valores estão alinhados aos dela”, explica a consultora do Idort/SP, Tânia Zarpelão.

A lógica é simples: apesar de tanto se falar em processo seletivo, entrevista de emprego, apagão de talentos, e outros assuntos cujo foco são as empresas, a verdade é que o profissional é quem deve escolher o lugar onde quer trabalhar.

Se não fizer isso, ele se sentirá desmotivado e, com pouca proatividade e vontade para fazer acontecer, deixará a carreira estagnada. As chances de sucesso são maiores quando se gosta de onde está, das pessoas com quem trabalha e das atividades desempenhadas.

Sou ou não sou feliz?

Aprenda a investir na bolsa

Se você está empregado, mas não está se sentindo bem, deve avaliar o que o incomoda. “Pode ser a postura dos líderes, que, às vezes, são agressivos demais”, explica ela. Em alguns casos, o remédio será procurar outro emprego, mas, dessa vez, buscando na nova empresa o preenchimento de suas expectativas.

Tânia exemplifica: “há ambientes em que, tecnicamente, não se aprende tanto, mas as pessoas se ajudam e os relacionamentos são bons. Então, o aprendizado é mais pessoal do que técnico. Em outros lugares, não se tem tanta qualidade nos relacionamentos, mas aprende-se muito, profissionalmente. Não existe o lugar melhor ou pior para se trabalhar, depende apenas do que cada um busca para si”.

O único ponto de atenção, na opinião da consultora, é a acomodação em empresas que pagam muito bem. “Quando só se busca recompensas materiais, as chances são maiores de se frustrar ao longo da carreira”, opina. “Hoje, a maioria das pessoas priorizam a qualidade de vida, já que a realidade atual do mercado é de muito trabalho, equipes enxutas e pressão demasiada por resultados”.

Ela finaliza lembrando que a postura de querer mudar vem de dentro de cada um. As pessoas se perguntam: até que ponto vale a pena ficar onde estou? Até que ponto vale a pena procurar algo melhor para mim?