Profissional de tecnologia tem de entender muito mais que “informatiquês”

De acordo com especialista, ele deve entender também do negócio do cliente, para poder prestar um melhor atendimento

SÃO PAULO – Apesar da área de Tecnologia da Informação (TI) estar com vagas sobrando, há poucos profissionais capacitados para ocupá-las, o que mostra que aqueles que ingressarem na carreira e se aperfeiçoarem terão grandes oportunidades.

Para se ter uma idéia, de acordo com dados do Ministério do Trabalho, a demanda por pessoas da área tende a chegar a 100 mil ao ano, em todo o Brasil. E o problema existe em outras partes do mundo: no Reino Unido, o déficit de 4,2% em 2007 passou para 6,8% este ano.

Para garantir espaço neste mercado, por sua vez, o profissional precisa ter algo além das exigências básicas, ou saber mais do que o “informatiquês”, segundo o diretor da New Age Software S/A, Ricardo Aun.

Capacitação

PUBLICIDADE

“Nos últimos anos, a evolução da Tecnologia da Informação, com a competitividade da economia, obrigou o profissional a se tornar especialista, mas não somente em TI. Ele deve entender também do negócio do cliente para poder prestar um melhor atendimento”, afirmou.

Como parte importante no crescimento comercial da empresa, o profissional da área tem que entender as regras do negócio, que são tão importantes como entender as linhas de códigos de tecnologia.

Inovação, criatividade, trabalho em equipe e comunicação são habilidades fundamentais para quem quer ter sucesso. “Vencerão aqueles profissionais mais hábeis, mais versáteis, mais adaptáveis e com uma gama de conhecimento geral e técnico capaz de suprir as estratégias de inovação de cada organização”, disse.