Profissionais só exploram 20% do potencial produtivo; confira como avançar!

Especialista aponta sete avaliações que o profissional deve fazer para se auto-conhecer e, assim, explorar seu potencial

SÃO PAULO – De acordo com o especialista em treinamento empresarial, palestrante e diretor da WK Prisma, Werner Kugelmeier, em média, o profissional explora apenas 20% do seu potencial produtivo. “O potencial é pouco explorado, muitas vezes, por ignorância ou inércia dos profissionais, que estão na zona de conforto”.

Segundo ele, principalmente no final do ano, quando os profissionais estão em busca de uma efetivação (no caso dos estagiários) ou de uma promoção, em que o funcionário precisa fazer-se percebido por seu talento, é preciso explorar ao máximo o potencial produtivo.

Processo

Confira abaixo sete avaliações que o profissional deve fazer para se conhecer e, assim, explorar seu potencial:

  • Auto-diagnóstico: o que gosto de fazer?
  • Auto-avaliação: estou fazendo o que gosto de fazer, explorando meus pontos fortes?
  • Benchmarking (busca de melhores práticas para um desempenho melhor): o quê, quando e onde posso aprender com elas?
  • Aprender: reflita diariamente sobre seu aprendizado;
  • Apanhar: saia da mesmice, do esquema, do controle e da burocracia;
  • Avanço: pedir para profissionais de competência um feedback;
  • Hábito: fazer de tudo uma rotina cíclica.

Vilões

PUBLICIDADE

Além de fatores internos, os externos também podem diminuir o potencial produtivo de um profissional. E-mails, mensagens instantâneas, perguntas de colegas e telefonemas inesperados. Quem consegue se concentrar diante de tantas interrupções? Pois saiba que estes são alguns dos principais “vilões” no ambiente de trabalho, já que fazem com que o profissional perca o foco durante o expediente.

Atualmente, as pessoas trabalham sob pressão constante e desenvolvem várias tarefas ao mesmo tempo, mas sem finalizar nenhuma. Sem saber lidar com os “vilões” da distração, a atenção no trabalho se anula e a concentração cai.

As conversas de corredor também são consideradas vilões. É claro que é interessante fazer contatos e até mesmo amizades no local de trabalho, mas nada de passar quinze minutos fazendo fofocas.

Reuniões a todo o momento também atrapalham a produtividade, ainda mais se gerarem discussões que não chegam a lugar nenhum. Além disso, problemas externos podem fazer com que o desempenho caia, como as questões familiares ou financeiras.