Profissionais do RJ e SP são os que mais demoram para chegar ao trabalho

Pesquisa do Ipea mostra que 56,1% dos trabalhadores do RJ e 55,6% de SP demoram mais de 30 minutos para completar percurso

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os trabalhadores cariocas e paulistanos são os que mais demoram para chegar ao trabalho, mostra pesquisa realizada pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) sobre mobilidade urbana, com base na Pnad 2009 (Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar).

Segundo o levantamento, 56,1% dos trabalhadores do Rio de Janeiro demoram mais de 30 minutos para chegar ao local de trabalho. Em São Paulo, 55,6% demoram acima desse tempo para fazer o percurso casa-trabalho.

Demora
Na faixa dos profissionais que demoram mais de 60 minutos, as duas cidades lideram: 23% dos paulistanos demoram mais que uma hora para chegar ao trabalho. O percentual entre os cariocas é de 22%.

Aprenda a investir na bolsa

Considerando a faixa entre 30 e 60 minutos, os trabalhadores de Brasília são os que mais demoram a completar o trajeto: 37,1% demoram esse tempo. Nessa faixa de tempo, os recifenses são os que apresentaram o menor percentual: 25,8% disseram que demoram entre 30 e 60 minutos para chegar ao trabalho.

Os profissionais de Porto Alegre são os que demoram menos para completar o percurso, uma vez que 67,2% deles demoram até 30 minutos para chegar ao local de trabalho. Em média, apenas 32,8% demoram mais que esse tempo para percorrer o trajeto.

Tempo de percurso casa-trabalho 
Regiões Metropolitanas  Até 30 min.  De 30 a 60 min.  Mais de 60 min. 
Porto Alegre 67,2%26,9%5,9%
Fortaleza62,9%25,8%11,3%
Belém60,1%30,9%9%
Curitiba 59,7%29,1%11,1%
Salvador56,5%31,3%12,2%
Belo Horizonte55,8%31,1%13,2%
Recife53,6%33,8%12,7%
Brasília 51,4%37,1%11,5%
São Paulo 44,4%32,6%23%
Rio de Janeiro 43,9%34,1%22%

Veículo próprio x transporte público
Os pesquisadores do Ipea identificaram que os maiores percentuais de trabalhadores com deslocamento inferior a 30 minutos estão entre os que dispõem de automóvel e motocicleta no domicílio, ao mesmo tempo em que os menores percentuais são encontrados entre aqueles que não possuem veículo privado.

“Isso pode indicar que, mesmo com o aumento do tráfego urbano prejudicando o tempo de percurso de todos, as pessoas que não possuem veículo privado e, portanto, dependem de transporte público, sofrem um impacto de tempo maior que o dos demais”, avaliam os pesquisadores.

Na tabela abaixo, é possível conferir a relação entre o tempo de transporte da casa para o trabalho e a renda dos trabalhadores das regiões metropolitanas analisadas pela pesquisa. 

Tempo gasto no deslocamento casa-trabalho (Reg. Metrop.) por renda
Renda per capita Até 30 min.De 30 a 60 min. De 1 a 2 hMais de 2 h
Sem renda 58,4%                 27,4%                    –                    14,2%              
Até 1/4 salário mínimo 62%24%11,6%2,4%
De 1/4 até 1/2 SM53,5%28,6%15%2,9%
De 1/2 a 1 SM50%31,4%15,7%2,9%
De 1 a 2 SM47,6%34,5%15,3%2,7%
De 2 a 3 SM 50,2%32,4%15,2%2,2%
De 3 a 5 SM54%31,5%12,2%2,2%
Mais de 5 SM60,2%29,3%9%1,5%
Total 51,1%31,9%14,5%2,6%