Profissionais deixam de lado equilíbrio entre vida pessoal e profissional; veja dicas!

Segundo pesquisa, em 2003, 29% dos entrevistados balanceavam vida pessoal e a carreira, índice que caiu para 26% em 2005

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A população mundial está, cada vez mais, deixando de lado o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Isto é o que mostra pesquisa da consultoria GfK Indicator, que confirmou que, enquanto em 2003, 29% dos entrevistados estavam interessados em balancear a vida pessoal e a carreira, este índice caiu para 26% em 2005.

Além disso, as pessoas ainda estão menos preocupadas com a saúde. Em 2003, 27% os entrevistados realizavam exercícios físicos, número que caiu para 24% há dois anos. A aliança entre despreocupação e sedentarismo pode trazer conseqüências negativas para a saúde dos trabalhadores, o que prejudica o desempenho profissional e as relações com a família.

Dez dicas preciosas

Existem dez dicas que podem fazer com que você consiga alcançar este equilíbrio entre vida pessoal e o trabalho. Acompanhe:

  • em primeiro lugar, prepare-se para cada fase de sua vida e de seu dia, para que possa se programar;
  • cada pessoa tem um ritmo e isso deve ser respeitado;
  • elimine todo o tipo de estresse desnecessário controlando seu temperamento;
  • curta melhor cada momento em casa, aproveitando-o não somente em frente à TV, mas com filhos e esposa/marido;
  • peça ajuda quando precisar para que não se sinta sobrecarregado;
  • não sofra antecipadamente, pois é preciso lidar com uma questão de cada vez para que todas sejam bem feitas;
  • aprenda a administrar seus sentimentos, por mais que seja difícil;
  • concentre-se no que está fazendo;
  • não se cobre tanto, o que pode gerar ansiedade e frustração;
  • por fim, converse bastante com sua família, peça colaboração e divida seus sonhos, o que fará com que as pessoas tenham prazer em participar de suas realizações.

Finanças em primeiro lugar

Aprenda a investir na bolsa

Dívidas, inadimplência e orçamento apertado. Para escapar de todos estes fatores, os entrevistados prezam mais a segurança financeira do que um trabalho que realmente agrade.

De acordo com o levantamento, a segurança financeira é o segundo principal item apontado pelos consumidores no que diz respeito ao que garante uma “boa vida”, com 64% das respostas. Já possuir um trabalho interessante está em sétimo lugar, com 46% das respostas.