Profissionais de alto escalão devem ter atenção redobrada fora da empresa

Para especialista, profissionais precisam entender que quanto maior a importância do cargo, maior o cuidado na vida pessoal

SÃO PAULO – Não são raros os casos de líderes empresariais ou funcionários de alto escalão que cometem gafes na vida pessoal e acabam arranhando a imagem da empresa. O último episódio do tipo se deu com o estilista John Galliano, que após comentários antissemita acabou demitido da griffe Dior.

Na opinião da diretora regional da De Bernt Entschev Human Capital, Ruth Bandeira, os profissionais precisam entender que quanto maior a importância do cargo, mais cuidados se deve ter na vida pessoal.

“Tudo na vida tem um bônus e um ônus. Quando um profissional atinge determinados postos de importância na corporação, de certa forma, ele se torna uma pessoa pública, não deixando de representar a empresa mesmo quando está fora da mesma”.

PUBLICIDADE

Imagem é tudo
O economista, consultor e um dos coordenadores da Vistage Rio, organização internacional que reúne executivos do mundo inteiro, Cláudio Miranda, diz que a atenção redobrada na vida privada é essencial para não haver prejuízo na reputação corporativa.

“O número um de uma empresa tem de ter atenção principalmente com as pessoas que fazem parte do seu círculo de amizades. Um executivo não pode frequentar um ambiente público com colegas que, quando bebem, não se comportam corretamente ou então que tenham tendência para provocar brigas. A imagem dele e da empresa certamente ficarão comprometidas”, diz.

Dessa forma, orienta, um executivo precisa saber avaliar não só profissionalmente, mas também no campo pessoal as situações que tenham probabilidade de sair do controle e tomar uma proporção maior.

Abaixo, algumas dicas elaboradas pelos especialistas para não prejudicar a empresa e, por consequência, a carreira, quando estiver longe do ambiente profissional:

  • Evite polêmicas, incluindo a exposição de opiniões sobre assuntos polêmicos, como política e religião;
  • Preste atenção nas atitudes. Não seja grosseiro ou esbanjador, por exemplo.
  • Aja sempre com equilíbrio;
  • Em público, seja sempre muito discreto;
  • Nas redes sociais, tenha um perfil restrito e separe amigos e parentes da rede de contatos profissionais.

“Não é que a pessoa tenha de ser um santo, mas ela terá de ter uma vida com pouco mais de temperança”, finaliza Ruth.