Profissionais da geração Y ganham menos do que os baby-boomers

Numa mesma posição, as remunerações variam, em média, 23% entre as duas gerações, aponta consultoria Mercer

São Paulo – Os profissionais da geração Y, nascidos entre 1978 e 1999, comprovadamente estão subindo de cargo em uma velocidade nunca vista antes. No entanto, seus salários aparentemente não estão acompanhando as carreiras meteóricas.

Um estudo realizado pela consultoria Mercer mostra que, em média, os profissionais da Geração Y ganham 13% menos do que os da Geração X (nascidos entre 1965 e 1977). Na comparação com os salários das gerações mais velhas, observa-se que os indivíduos da geração Y ganham cerca de 23% a menos do que os baby-boomers, nascidos entre 1946 e 1964.

Em média, um profissional da geração Y no cargo de coordenador ganha cerca de R$ 7.264 por mês. Esse mesmo cargo paga para um baby-boomer R$ 9.483 e para um da geração X, R$ 8.373. Já um diretor da geração Y ganha, em média, R$ 28.903, enquanto um diretor baby-boomer ganha R$ 36.677, conforme aparece abaixo:

PUBLICIDADE
Nível  Baby-boomers      Geração X       Geração Y    
PresidenteR$ 68.397R$ 45.505
DiretoresR$ 36.677R$ 32.189R$ 28.903
Gerentes Sr.R$ 19.593R$ 17.961R$ 15.274
GerentesR$ 12.864R$ 11.733R$ 10.291
CoordenadoresR$ 9.483R$ 8.373R$ 7.264
ProfissionaisR$ 4.129R$ 3.161R$ 2.168
OperacionaisR$ 2.158R$ 1.727R$ 1.320

Motivos
De acordo com a consultora sênior da Mercer, especializada em remuneração, Andréa Sotnik, não é possível dizer se a carga de responsabilidade entre as diferentes gerações em uma mesma posição é diferente. No entanto, os fatores que possivelmente explicam os salários menores são: maturidade e permanência reduzida em cada posição.

Andréa explica que os profissionais da Geração Y ficam menos tempo em uma mesma posição, se comparados com os das gerações mais antigas. “Antes as pessoas ficava mais tempo em cada cargo, herdando um pouco mais da carga salarial”, observa Andréa. 

Além disso, a maturidade também parece ser um fator que ajuda a explicar as diferenças. Para Andréa, existe uma diferença entre um diretor de 30 anos e um de 40 anos. De qualquer maneira, os profissionais da geração Y estão mais preocupados com as promoções do que com o fato de que seus salário não estão acompanhando a trajetória, finaliza Andréa.