Procura por serviços de outsourcing cresce no País

Setor de trabalhos temporários e serviços terceirizáveis empregou mais de 9,2 milhões de pessoas, segundo informações divulgadas pelo IBGE

SÃO PAULO – O aumento do número de empresas especializadas no fornecimento de serviços de outsourcing também propiciou o crescimento de empregos com carteira assinada no setor: dos 44 milhões de trabalhadores formais, cerca de 8,2 milhões eram terceirizados e um milhão constituído por profissionais temporários.

Os dados foram divulgados recentemente pelo IBGE (Intituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e serviram de base para uma pesquisa realizada pela Trevisan Outsourcing sobre BPO (Business Process Outsourcing).

Contratação de serviços
De acordo com o levantamento da empresa, mais de 39% dos entrevistados contrataram serviços terceirizados de controle contábil por mais de cinco anos. O mesmo ocorreu com os serviços terceirizados na área de tributação – procurado por 35% dos empresários.

PUBLICIDADE

Os contratos de prestação de serviços também foram mencionados por 87% dos participantes, que defenderam um método de mensurar a qualidade dos serviços prestados formalmente. “Este é um ponto importante, pois desta maneira é possível avaliar, de fato, como está o andamento dos serviços da empresa contratada”, informa a sócia da Trevisan Outsourcing, Geuma Campos Nascimento.

Confiança e qualidade
Tal como em outras empresas, os serviços técnicos especializados na área contábil, tributária, societária, de finanças e processos voltados à gestão de negócios também precisam de precisão e qualificação pelos prestadores. Por esta razão, as empresas que dominam o assunto têm conquistado cada vez mais clientes.

Neste quesito, cerca de 70% dos entrevistados pela Trevisan informaram confiar nas empresas contratadas para a realização de serviços. A qualidade do trabalho executado também não deixou a desejar, já que 69% dos participantes confirmaram acreditar na qualificação técnica das equipes escaladas para a realização de processos.

“Os profissionais que atuam em atividades, principalmente nas regidas por fortes legislações, precisam de uma alta carga de treinamento para exercer suas funções básicas”, informa Geuma. “Neste caso, o conhecimento da legislação que regulamenta cada função e o constante treinamento para fins de reciclagem se tornam essenciais”, completa.

Expectativas para o setor
A expectativa para os próximos anos se mantém favorável aos negócios. Isto porque cada vez mais empresas precisam focar nas atividades essenciais do core business  e ainda estar atentas às mudanças do mercado interno e externo, ao ritmo imposto pela concorrência e também às exigências de clientes e investidores.

Para a Geuma, tais atividades demandam tempo e, por esta razão, a procura de empresas especializadas pode se mostrar um verdadeiro facilitador nestes processos. “As atividades conhecidas como ‘meio’ devem ser realizadas por empresas que possuam estas habilidades em seu histórico, como é o caso das prestadoras de serviços”.