Problemas de saúde: o quanto seu chefe precisa saber sobre eles?

Segundo especialistas, não é preciso entrar em detalhes se a consulta for de rotina; em casos mais graves, vale a pena se abrir

SÃO PAULO – Você precisa ir ao médico, e, para isso, precisa que seu chefe o dispense. Uma consulta de rotina, um problema mais sério, um doente na família. O quanto seu chefe precisa saber quando o assunto é saúde? 

Todos os profissionais eventualmente têm necessidade de se ausentar para uma consulta médica. Essa falta deve ser comprovada com o atestado médico e não precisa ser detalhada com seu chefe, explica a diretora-presidente da Projeto RH, Eliane Figueiredo. 

Na prática, se você vai a um ginecologista, a um dentista ou qualquer outro especialista para uma consulta de rotina, o líder só precisa saber quando será sua consulta e receber seu atestado. Eliana ainda pontua que, dependendo da relação que o funcionário tiver com o líder, ele pode falar um pouco mais sobre a consulta, mas os detalhes nesse caso não são necessários. 

PUBLICIDADE

Casos mais graves
Mas, quando a coisa fica mais complicada e você inicia um tratamento ou precisa ir repetidas vezes ao médico, se ausentando com frequência, a orientação é sentar e explicar o que está acontecendo. Essa atitude evita, inclusive, que seu chefe pense que você está procurando outro emprego e que você está se ausentando para participar de entrevistas. 

É importante compartilhar com seu chefe o problema, para que ele entenda a situação e perceba as suas saídas como necessárias, avalia a diretora de transição de carreira da Right, Matilde Berna. Sem explicações, o chefe pode pensar que você não está comprometido com seu trabalho. 

“Ser transparente é muito importante e você pode escolher o nível de detalhe que prefere entrar”, diz Matilde. Outra sugestão é mostrar que você está administrando suas saídas da melhor maneira possível e, de fato, fazê-lo. 

Se for possível, faça os exames aos sábados, marque as consultas depois do seu expediente ou mesmo no horário do almoço. Isso mostra que você não está se aproveitando dessa situação, o que, conforme diz Matilde, é feito por muitos profissionais. 

Claro que a agenda dos médicos não gira em torno da disponibilidade dos pacientes. Estes, sim, são os que devem se adaptar aos horários do médico. De todo modo, é importante mostrar para o chefe que existe a necessidade de se ausentar, mas também existe a preocupação de não comprometer as horas de trabalho. 

Problema de saúde
E, quando o profissional possui um problema de saúde crônico, é preciso revelar para o chefe? As duas especialistas concordam que só é preciso dizer alguma coisa se essa condição impactar de alguma maneira seu trabalho. 

PUBLICIDADE

No caso dos diabéticos, por exemplo, essa condição não impacta no trabalho do funcionário, e, portanto, ele só deve falar se quiser e se sentir à vontade. No dia a dia, porém, possivelmente seu chefe vai acabar descobrindo, já que a alimentação tem algumas restrições e isso fica evidente nas conversas.

Já nos problemas de saúde que exigem constantes ausências, é importante deixar o líder ciente. Mas Eliane lembra que o profissional não deve falar nada sobre o que não se sinta a vontade para falar. “É a privacidade dele e não deve ser invadida”, finaliza.