Privilégios podem causar desmotivação na equipe

Além disso, ao privilegiar um membro da equipe, líder pode demonstrar que é imaturo e que toma a maior parte das decisões com base na emoção

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – “Por que somente fulano pode trocar de horário de almoço?”, “Qual o motivo leva beltrano a poder sair mais cedo com frequência?” ou “Existe alguma razão para que ciclano tenha prioridade nas vendas?”.

Não raro, questões como as listadas acima ficam na cabeça dos profissionais, fazem parte das rodas de café e, segundo a gerente executiva da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Patrícia Fadini, podem levar à desmotivação da equipe.

“As pessoas se sentem desvalorizadas e podem ficar desmotivadas ao perceberem que um membro da equipe tem privilégios sobre os demais”, explica a gerente.

Aprenda a investir na bolsa

Líder
Patrícia explica ainda que, ao privilegiar um funcionário, o líder corre o risco de que outros membros de sua equipe busquem novas oportunidades no mercado de trabalho.

Além disso, com tal atitude, ele pode demonstrar que é imaturo e toma a maior parte das decisões com base na emoção. Assim, diz ela, o líder deve se policiar para não privilegiar ninguém, prestando atenção, sobretudo, no feedback dos liderados, que podem vir a demonstrar de forma sutil alguma insatisfação.

O que fazer?
Ao se deparar com uma situação de privilégio a outro membro da equipe, orienta a especialista, o ideal é que a pessoa foque no seu próprio trabalho, pois, segundo ela, é muito complicado apontar diretamente o problema, já que pode não ser claro o tipo de relacionamento ou interesse do chefe com o funcionário beneficiado.

No que diz respeito à pessoa que recebe privilégios, diz, se a situação for involuntária, o ideal é que o profissional procure neutralizá-la para não correr o risco de ser excluído pelo grupo.