Presidente do Senado se mostra “simpático” ao aumento para aposentados

A proposta é de aumento nominal de 11,7% para 2012, o que inclui reposição da inflação medida pelo INPC e 80% do crescimento do PIB

SÃO PAULO – Durante reunião nesta quarta-feira (9), o presidente do Senado, José Sarney, assim como o presidente da CMO (Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização), Vital do Rêgo (PMDB-PB), e o relator do Orçamento 2012, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), mostraram-se simpáticos à proposta de aumento dos aposentados e pensionistas.

A percepção é do senador Paulo Paim (PT-RS), que afirmou: “Estou confiante, desde que haja mobilização. É preciso que toda a sociedade pressione seus deputados e senadores nos estados para que eles votem com os aposentados“.

Conforme publicado na Agência Senado, o senador informou que a próxima etapa será marcar reuniões com os líderes no Congresso Nacional para discutir a votação da medida.

PUBLICIDADE

Reajuste de 11,7%
A reunião teve o objetivo de pedir apoio de Sarney para a proposta de reajuste nominal de 11,7% no próximo ano para as aposentadorias e pensões no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) acima de um salário mínimo.

O percentual representa a reposição da inflação de 2011 medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), mais 80% do crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) verificado em 2010, o que representa um ganho real de 6% no próximo ano. A proposta orçamentária enviada pelo Executivo, por sua vez, garante apenas a reposição da inflação.

“Estamos lutando para que pelo menos o mesmo índice seja assegurado agora em 1º de janeiro”, disse Paim, lembrando que, no ano passado, eles conseguiram esse reajuste.

Também participaram da reunião o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT) e representantes das centrais sindicais e dos aposentados.

Orçamento 2012
Autor da emenda que obriga o relator a reservar recursos para garantir o reajuste, o deputado Paulo Pereira da Silva disse que Arlindo Chinaglia teria se comprometido com a destinação de cerca de R$ 13 bilhões do Orçamento para reajustes nas aposentadorias e vencimentos de servidores públicos. Na avaliação do deputado, no entanto, a proposta não é suficiente.

“Não resolve só aprovar no Orçamento. Temos também que conversar com a presidente Dilma Rousseff, que tem que mandar para cá por medida provisória ou no próprio decreto que ela vai mandar para cá, esse aumento de 80% do PIB para os aposentados”.

PUBLICIDADE

Na tarde desta quarta-feira, a CMO volta a se reunir para tentar votar o relatório preliminar do Orçamento de 2012.