Preparação e segurança garantem o sucesso de negociações salariais

Profissionais devem documentar suas contribuições para o crescimento da empresa e serem objetivos em suas expectativas

SÃO PAULO – A procura por profissionais qualificados tem aquecido as oportunidades de trabalho e causado uma grande movimentação no setor, garantindo aos executivos a chance de negociar melhores cargos, salários e benefícios.

O sucesso em tal empreitada, no entanto, não depende apenas da vontade do empresário, sendo responsabilidade do empregado assegurar os meios para que as solicitações sejam analisadas com ‘bons olhos’.

“A avaliação de desempenho e revisão salarial deve ser profissional e cuidadosa como um acordo comercial. Cabe ao executivo documentar como ele contribuiu para o crescimento da empresa, bem como detalhar quais os termos que deseja negociar em uma contraproposta”, diz o sócio-presidente da Scotwork do Brasil, José Roberto Ribeiro do Valle.

PUBLICIDADE

Passo-a-passo
A convocação de uma reunião com superiores para informar o recebimento de uma proposta da concorrência também deve ser cautelosa.

Neste momento, é interessante ao empregado apresentar uma espécie de dossiê pessoal, que documente em números os resultados da companhia e mostre o quanto sua participação foi fundamental para o desenvolvimento dos negócios.

Outra dica é estar seguro de sua competência e do que deseja adquirir em termos de melhorias no âmbito profissional. “Os executivos são excelentes ao negociar ativos e assuntos de terceiros, mas quando o foco se refere a interesses pessoais, a insegurança e a ansiedade podem levá-los a uma armadilha em que a emoção prevalece sobre a razão”, avalia Ribeiro do Valle.

Por isto, o importante é manter os pensamentos no lugar e apostar em estratégias para não comprometer os resultados de uma negociação.

Prepara-se para perguntas
Obviamente, o empregador não atenderá o executivo em todas solicitações, afinal, será preciso avaliar o custo do profissional antes de uma decisão. Ou seja, o quanto ele vale para a empresa. “O empregador analisará o impacto financeiro, político e pessoal que a perda de determinado profissional acarretará à corporação antes de uma decisão”.

E acredite, isto será apenas uma das situações em que o empregado deverá mostrar sua postura e frieza, afinal, não faltarão questionamentos por parte da direção da companhia sobre as razões que levam o profissional a achar que merece um aumento de salário, um curso no exterior, uma melhoria de cargo etc.

PUBLICIDADE

“Não avaliar corretamente o equilíbrio de poder, não documentar e valorizar adequadamente as contribuições para a empresa e adotar uma posição pessimista em vez de otimista são erros cruciais neste processo e devem ser evitados”, avalia Ribeiro do Valle.

De forma geral, a negociação de uma contraproposta pode se mostrar uma ótima oportunidade para discutir planos de carreira e definir junto à gerência quais os planos da empresa para viabilizar o crescimento dos contratados dentro da organização.