Precisa desenvolver habilidades? O e-coaching pode ser uma solução

O processo começa com diagnóstico para identificar os gaps do profissional, depois passa à elaboração do plano de ação

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A ideia de coaching como o estímulo aos profissionais para desenvolverem caminhos próprios de autodesenvolvimento, seja na própria carreira ou em áreas específicas de atuação, não é propriamente nova no mundo corporativo. É cada vez maior o número de pessoas que optam por esse recurso para se capacitarem e desenvolverem novas aptidões e talentos.

Desenvolver treinamentos utilizando a internet como facilitador, ferramenta e alavancador de potencialidades também não é uma novidade entre as empresas. Unir as duas coisas – coaching e internet – no entanto, é uma prática pouco comum, para não dizer rara no mercado. 

A empresa YourLife uniu as duas propostas e, hoje, é uma das únicas corporações a oferecer o serviço de e-coaching no Brasil. “Consiste em massificar o processo de coaching, sem mudar a característica dessa proposta. Começa com um diagnóstico para identificar quais os pontos de gap que tem determinado profissional, depois passa para elaboração do plano de ação”, explica o sócio-diretor da empresa Rubens Gurevich. 

Aprenda a investir na bolsa

Diferenças
A diferença entre o sistema convencional – que inclui grupos ou conversas individualmente – é justamente a plataforma de comunicação, mas a proposta é a mesma. “Há os sistemas B2B [de empresa para empresa] quando a própria companhia compra o processo de coaching e há uma troca, com alguns encontros, e há também o B2C [empresa para o consumidor final], onde há o acompanhamento on-line, o profissional constrói uma rede de avaliadores, que vai ajudar a monitorar o seu desenvolvimento”, relata Gurevich.

Essa rede de avaliação (composta por até cinco profissionais) é responsável por avaliar periodicamente a evolução de quem está se submetendo ao e-coaching. “Também é uma forma de obrigar o profissional a ter um compromisso, já que ele tem obrigação de entregar determinado comportamento ou mudança comportamental”.

Funcionamento
Segundo Gurevich, há uma avaliação inicial, onde se constata a condição do profissional que passará pelo processo de e-coaching. Depois, ele manifestará quais competências ou conhecimentos pretende desenvolver. Em média, terá três meses para desenvolver cada uma das competências. 

Qualquer pessoa pode passar pelo processo de e-coaching. “A única limitação é que ela tenha um e-mail para estabelecer a comunicação e a partir daí ela vai receber os lembretes, sistemas de autoavaliação”, detalha Gurevich. 

O executivo reconhece que é um desafio manter os profissionais conectados com o processo de assimilação do conhecimento, mas destaca que os resultados colhidos até agora pela YourLife são bastante satisfatórios. “Temos um aumento de 15% a 20% nos feedbacks de avaliação dos profissionais que passaram pelos processos”, diz o executivo.

Clientes
A YourLife, que atua há seis anos no segmento de e-coaching, já ofereceu seus serviços para 45 empresas, atendendo mais de 2000 pessoas através desses canais. Em outro sistema, a empresa já teve mais de 180 mil diagnósticos realizados – esses diagnósticos, que identificam o problema do profissional, são feitos de forma gratuita. A partir daí, 4600 pessoas montaram seu plano de ação dentro da área de finanças ou carreiras, e fizeram uso do e-coaching.

PUBLICIDADE

Gurevich diz que um dos grandes desafios da YourLife é consolidar a ideia de coaching entre profissionais, e depois mostrar que ele pode ser popularizado através da própria internet. “Nosso desafio, antes de qualquer outro, é educar para essa ação, e constantemente aperfeiçoar nosso trabalho, melhorando a comunicação e o atendimento aos profissionais”, analisa.