Postos de trabalho e salários na indústria acumulam queda até novembro de 2003

De acordo com os dados da pesquisa do IBGE, a região sudeste tem apresentado os piores resultados

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nessa quarta-feira, os dados da sua Pesquisa Mensal de Emprego e Salário, que apontou para uma ligeira elevação nos postos de trabalho e salários em novembro de 2003.

Nesse sentido, o número de postos de trabalho na indústria apresentou um crescimento de 0,1% em novembro, frente a outubro do ano passado. No entanto, na comparação com o mesmo mês de 2002, os postos no setor industrial apresentaram uma redução de 1,4% e no acumulado de janeiro a novembro de 2003 também registram queda, de 0,6%.

Por sua vez, o valor da folha de pagamentos apresentou uma elevação de 0,1% em novembro, sendo esse o primeiro resultado positivo desde julho de 2003. Já o número de horas pagas apresentou um crescimento de 0,2% no referido mês. Entretanto, assim como o número de postos, na comparação com novembro de 2002 o valor da folha de pagamento e o número de horas pagas registraram queda.

Sudeste registra maior queda no número de postos na indústria

PUBLICIDADE

Segundo os dados do levantamento realizado pelo IBGE, o crescimento das postos de trabalho do setor industrial foi possível graças ao desempenho dos setores agrícolas e voltados para a exportação, já que os ligados diretamente ao mercado interno foram os que apresentaram as maiores taxas negativas em novembro.

Além disso, na comparação entre novembro de 2003 e de 2002, os estados da região sudeste registraram as maiores participações na queda dos postos do setor industrial. Nesse sentido, na comparação entre esses meses São Paulo registrou uma queda de 1,4% em seus postos e o Rio de Janeiro uma diminuição de 4,4% nas vagas da indústria.

Com isso, no acumulado de 2003 até novembro a redução de vagas na indústria paulista foi de 1,0%, enquanto que na indústria carioca foi de 3,9%. Por outro lado, os estados das regiões centro-oeste e norte apresentaram um aumento do emprego no acumulado até novembro, apresentando juntos uma variação positiva de 4,0% nas vagas na indústria.

Folha de pagamento registra queda na comparação anual

Mesmo com o resultado positivo alcançado na comparação entre novembro e outubro, a folha de pagamentos continua apresentando queda na comparação anual. Assim, foi registrada uma diminuição de 0,8% no valor do salário na comparação entre os meses de novembro de 2003 e de 2002, sendo que no acumulado do ano passado, também até novembro, a queda é de 5,3%.

Com isso, na comparação anual do mês de novembro, São Paulo registrou mais uma vez a maior queda na folha de pagamento, com uma variação negativa de 1,4%. Entretanto, os estados do Rio Grande do Sul e Minas Gerais ampliaram o pagamento de seus funcionários em 3,9% e 3,3%, respectivamente, nessa mesma comparação. Por sua vez, com relação ao acumulado dos primeiros 11 meses de 2003, as maiores perdas na folha de salário foram registradas no Rio de Janeiro (-10,8%), na Bahia (-9,6%) e em São Paulo (-6,2%).

Número de horas pagas registra queda de 1,7%

Assim como os outros índicadores, o número de horas pagas apresentou uma queda de 1,7% na comparação entre os meses de novembro de 2002 e de 2003. Com isso, no acumulado do ano passado a perda registrada pelo número de horas pagas chega a 0,9%. Nessa comparação, as maiores perdas foram registradas em São Paulo (-1,4%), no Rio de Janeiro (-5,6%), no Rio Grande do Sul (-2,3%) e no Ceará (-6,8%).

Dessa maneira, no acumulado de 2003 até novembro, as maiores reduções no pagamento das horas trabalhadas no setor industrial foram registradas em São Paulo (-1,4%), no Rio de Janeiro (-4,1%) e no Rio Grande do Sul (-1,8%). Por outro lado, contrariando essa tendência, o estado do Paraná apresentou um aumento de 3,4% no total pago pelas horas trabalhadas em suas fábricas.