Possível correção na tabela do IR é um avanço nas negociações, diz deputado

Segundo o líder do PDT, na reunião com o governo, também devem ser discutidos o reajuste do mínimo e o dos aposentados

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A possibilidade de reajuste da tabela do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Fìsica) este ano em 6,46% significa um avanço nas negociações com o governo, afirmou o líder do PDT na Câmara e presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, mais conhecido como Paulinho da Força.

As negociações entre o governo, representado pelo secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e as centrais sindicais começam na quarta-feira (26). “Queremos discutir três coisas: o reajuste do salário mínimo, a correção da tabela [do IR] e o reajuste dos aposentados”, disse Paulinho da Força, segundo a Agência Brasil.

De acordo com o deputado, há dificuldade de negociar um salário mínimo de R$ 580, sendo possível uma negociação no valor de R$ 560. Já em relação aos valores de R$ 545 e R$ 550, Paulinho afirmou que dificilmente as centrais sindicais aceitarão.

Aprenda a investir na bolsa

“Não podemos aceitar só a correção pela inflação”, disse o deputado.

Ou um ou outro
Para o senador Paulo Paim (PT-RS), é inaceitável querer vincular a correção da tabela do Imposto de Renda ao reajuste do salário mínimo. “Isso vai dar um rolo enorme”, disse o senador.

Segundo Paim, o Executivo que privilegiar a classe média, que paga imposto de renda, em detrimento dos trabalhadores mais pobres. Para o senador foi um equívoco as centrais sindicais terem vinculado os dois assuntos na proposta de negociação com o governo.

“As centrais deveriam trabalhar com um foco mais dirigido”, concluiu Paim.