Carreira

Por que profissionais disputados estão apostando nesta nova profissão

Uma das carreiras que mais cresce no país tem atraído profissionais que buscam mais liberdade, flexibilidade e propósito em suas vidas

Deixar de lado a mesa de programação e encarar o desafio de mudar de carreira para ajudar as pessoas a investirem melhor seu dinheiro. Essa foi a decisão que mudou a vida de Fernando Yonehara, 43, que há cerca de um ano e meio deixou um cargo de gerência na área de tecnologia de uma grande empresa para se tornar assessor de investimentos.

“Quando pedi demissão, todo mundo achou que eu era maluco. Eu estava trabalhando em uma grande empresa, com uma certa estabilidade e, do nada, troquei por um sonho, que eu nem sabia se iria dar certo”, lembra Yonehara, que hoje atua como assessor na HI Invest.

O cientista da computação faz parte de um grupo crescente de profissionais que encontraram nesta carreira do mercado financeiro uma série de incentivos. Entre eles, a possibilidade de empreender em um ambiente altamente meritocrático e o propósito de impactar positivamente a vida de milhares de brasileiros.

Yonehara conta que sempre gostou de estudar o mercado e investir, mas esse não era um hábito comum a pessoas à sua volta. “Foi percebendo a falta de conhecimento financeiro das pessoas ao meu redor e vendo o quanto isso afetava a vida delas que vi uma oportunidade de trabalho. Eu queria ajudar e acabei descobrindo que havia um jeito de ser remunerado por isso”, lembra.

O assessor de investimentos é o profissional responsável por auxiliar as pessoas a investirem melhor seu patrimônio. Basicamente, ele estuda o perfil do seu cliente, entende seu estilo de vida e suas metas, e aponta quais investimentos são mais adequados para sua carteira no curto, médio e longo prazo.

“Tem que gostar muito do mercado financeiro e de servir seus clientes sem hora, nem lugar. E sempre buscar conhecimento com uma mentalidade de aprendizado contínuo”, explica Marcelo Martinez, assessor e sócio responsável pela área de expansão da Manhattan Investimentos em São Paulo.

“A melhor decisão que tomei na vida”

O período de transição de carreira, claro, tem seus desafios, como conta Yonehara. “Eu tive que migrar de uma mentalidade CLT para uma mentalidade empreendedora. Comecei do zero, com uma remuneração zero e fui caminhando aos poucos”. Ele ainda acrescenta que foi atraído pela meritocracia própria do novo ofício. “É só trabalhando e correndo atrás que você conquista uma boa remuneração.”

Segundo Martinez, o mais importante para quem tem interesse em realizar essa mudança de carreira é ter muita dedicação e um pouco de paciência. “Os primeiros 6 meses são de muito aprendizado para só depois a construção da carteira começar a fluir de maneira natural. A base para se construir uma carteira sólida está ligada a uma rede de relacionamentos, que o assessor possui ou constrói ao longo do tempo”, conta.

Se a mudança de profissão valeu a pena? “Foi difícil, mas foi a melhor decisão que já tomei na vida”, diz Yonehara.

O espírito empreendedor

O ex-consultor em gestão empresarial Gabriel Moraes, de 28 anos, deixou uma das maiores consultorias do país para atuar como assessor de investimentos. E o que fez brilhar seus olhos foi justamente a possibilidade de empreender dentro do mercado financeiro.

“Sempre tive o sonho de empreender e construir algo que deixasse um legado para o nosso país. O mercado de investimentos brasileiro está passando por uma verdadeira revolução e poder contribuir com esse movimento ajudando o brasileiro a investir melhor é muito gratificante”, afirma Moraes, que hoje atua como assessor na Veedha Investimentos.

Segundo ele, quando o assunto é relacionamento com os clientes, ouvir com atenção as demandas de cada um deles é fundamental. “O grande diferencial da profissão é justamente entregar para os clientes soluções de investimento feitas sob medida para cada um deles. E isso só é possível escutando atentamente cada cliente, para entender com assertividade quais as soluções de investimento mais adequadas para cada um deles,” defende.

Quando o assunto é contratação de assessores por parte dos escritórios, a preocupação com com a qualidade do serviço também é um diferencial. “Buscamos assessores que sentem prazer em exercer essa profissão e que tenham brilho nos olhos. A preocupação com o cliente indica paixão e amor pelo que fazem, e é isso que importa no final”, afirma Marcelo.

Como chegar lá?

O profissional que quiser atuar como assessor de investimentos em escritórios pelo país deve obter a certificação de Agente Autônomo de Investimentos da Ancord, entidade responsável por credenciar o segmento. A prova dura 2 horas e meia e possui 80 questões objetivas de múltipla escolha.

Mas, para se destacar na área, tanto Moraes quanto Yonehara quiseram ir além. Em busca de se especializar e atrair mais clientes, os dois cursaram o MBA Investimentos e Private Banking do Infomoney em parceria com o Ibmec. Ambos afirmam que os conhecimentos aprendidos durante o curso foram fundamentais para o processo de mudança de carreira.

“Apesar de já ter anteriormente uma base sobre investimentos, no MBA, eu tive um intensivo muito maior sobre cada tipo de produto e isso me ajudou, inclusive, a passar na prova de certificação da Ancord“, conta Moraes.

Para saber mais sobre o MBA em Investimentos e Private Banking, clique aqui. As inscrições para a turma de 2020 já estão abertas!