Plano B: mais de 60% dos profissionais possuem outra fonte de renda

Enquanto 21,74% dos homens possuem negócio paralelo, dentre as mulheres, o percentual cai para 16,52%

SÃO PAULO – De acordo com a pesquisa “A contratação, a Demissão e a Carreira dos Executivos Brasileiros”, realizada pela Catho, mais de 60% dos profissionais entrevistados disseram ter alguma fonte de renda alternativa ao emprego, mesmo que seja proveniente só do cônjuge.

Os dados, coletados com 12.122 profissionais de empresas privadas de todo o Brasil, mostram um espírito empreendedor mais forte nos homens consultados pela pesquisa. Isso porque, enquanto 21,74% deles possuem negócio próprio, dentre as mulheres, o percentual cai para 16,52%.

Em 20,62% dos casos, o cônjuge é quem possui o negócio próprio. Neste caso, a proporção é maior entre os homens: 29,76% das mulheres declaram que seus maridos são empreendedores. Para 9,08%, por sua vez, o profissional também é professor universitário.

Porte da empresa

PUBLICIDADE

Nas empresas com porte menor, está a maior parte das pessoas que possuem um negócio paralelo: a proporção é de 24,16% nas companhias com renda anual abaixo de US$ 15 milhões, ante 15,62% nas com renda anual acima de US$ 100 milhões.

O espírito empreendedor está mais presente nos profissionais que ocupam cargos mais baixos, quando analisadas as empresas com rendimento de US$ 50 milhões a US$ 99 milhões por ano; nestas, 1,09% dos administradores desenvolvem um negócio paralelo, ante 0,50% dos presidentes. Nas companhias com renda acima de US$ 100 milhões, essa representatividade é de 0,79% dos administradores e de 0,19% dos presidentes.

O quadro se inverte nas empresas com rendimento até US$ 15 milhões ao ano, nas quais 1,75% das pessoas de cargo administrativo tem negócio paralelo, ante 1,78% dos presidentes.

Dicas para abrir negócio

Muito mais do que vontade, é preciso ter cuidado, no momento de abrir um negócio. Confira as dicas:

  • Fazer um bom plano de negócios é fundamental. Não basta ter o dinheiro para iniciar o negócio. É preciso contar com uma reserva financeira para manter o empreendimento, enquanto ele não der o retorno esperado;
  • Analisar a concorrência e o mercado. Lojas que vendem produtos que estão na moda, como ovos de chocolate na Páscoa, são de alto risco;
  • Cuidar do contrato social. Há detalhes que não podem ser ignorados, como definir a parte e as funções de cada sócio e o que fazer, no caso de morte de um dos donos;
  • Ter um bom contador. Você provavelmente não saberá lidar com todos os trâmites burocráticos que um negócio exige;
  • Reciclar-se. É sempre importante manter-se atualizado, participando de palestras e feiras do setor;
  • Ter perseverança. Um negócio costuma demorar dois anos para dar lucro.