13º salário

Planeje os gastos antes da entrada da segunda parcela

Empresas têm até dia 20 para pagar segunda parcela; comércio aposta em facilidade de pagamento para estimular gasto

Cálculo de dinheiro, salário
(Breakingpic)

SÃO PAULO – Os trabalhadores que receberão a segunda parcela do 13º salário no próximo dia 20 devem planejar os gastos. Isso porque, apesar de ser um dinheirinho extra no final do ano, as ofertas do comércio podem fazer com que as pessoas gastem todo o rendimento.

As empresas têm até o dia 20 de dezembro para pagamento da segunda parcela do 13º salário aos trabalhadores. A primeira parcela já deve ter sido paga, por lei, até o dia 30 de novembro.

Os lojistas em geral investirão na propaganda e nas facilidades de pagamento nos próximos dias para atrair o público. Seja com um maior prazo de parcelamento ou na redução da taxa dos juros. No entanto, os consumidores devem pensar antes de sair de casa e comprar.

Tentação do consumo

De acordo com o professor de finanças da Fiap (Faculdade de Informática e Administração Paulista), Flávio Panhori, apesar da cautela, é justamente na época do Natal que as principais redes de comércio varejista intensificam o marketing, o que influencia o consumidor a gastar o 13º salário.

“É provável que muitos consumidores quitem dívidas em vez de consumir. Mas a tentação ao consumo tem um novo reforço: a taxa de juros declinante. O crédito está sendo facilitado tanto no alongamento dos prazos quanto na queda da taxa de juros favorecendo o consumo”, disse o professor.

Superendividamento

Quando as pessoas optam destinar o 13º salário para as compras e não para o pagamento de contas já existentes, a situação financeira pode se complicar e o consumidor se vê diante do problema do superendividamento ativo, aquele em que foi adquirido quando a pessoa gastou mais do que realmente podia.

Para o professor, a limitação do consumo não pode ser vista como algo negativo. “A vantagem de manter o equilíbrio em suas finanças pessoais e sua sustentabilidade no longo prazo possibilitará realizações ponderadas e prazerosas, minimizará riscos financeiros e gerará potencial de consumo ainda maior”.