Pisou na bola com o chefe e está na mira do RH? Fique calmo e inverta o jogo!

Se a situação complicou, não se desespere! Ainda dá tempo de solucionar o impasse e manter seu emprego

SÃO PAULO – O clima esquentou, os ânimos se exaltaram e, no fim das contas, quem passou dos limites foi você, e o pior, com seu chefe. Se a situação já não era fácil de se encarar, imagine agora, com os profissionais da área de recursos humanos de olho nas suas atitudes? Tenso, não?

Diante disso, esperar por um milagre não seria o conselho mais apropriado para um profissional nessa situação. Portanto, preste atenção! Postergar qualquer conversa sobre o assunto é a última coisa a ser feita. O ideal é que o profissional envolvido em um impasse como esse procure a maneira mais apropriada de resolver tal questão. Como? Conversando com as pessoas certas.

Peça ajuda!
De acordo com a consultora de transição de carreira da De Bernt Entschev Human Capital, Ília Lima, a melhor dica neste momento é recorrer ao segmento de recursos humanos para esclarecer a situação, se redimir e pedir ajuda.

PUBLICIDADE

“Se a empresa possuir um RH focado no desenvolvimento de pessoas, é neste setor que o profissional deve buscar esclarecimento. Lá, o trabalhador poderá explicar as razões de sua atitude e aguardar uma posição da área, que intermediará a questão, para evitar mais conflitos”, informa.

Papo direto
Mas o que fazer, se a empresa não possuir um departamento de RH tão próximo e atuante? Bom, neste caso, a dica é tentar a sorte e falar diretamente com o superior envolvido no problema.

“O colaborador deverá buscar um ambiente neutro para abordar seu gestor e se preparar para ouvir o que ele poderá dizer – o que nem sempre será agradável”, conta Ília.

Segundo ela, neste momento, os superiores costumam avaliar todo o histórico de um contratado, desde seu desempenho profissional até sua postura e, muitas vezes, eles apenas costumam ‘perdoar’ seus funcionários justamente pela competência apresentada no trabalho e pela falta de antecedentes.

“Um subordinado pode ser demitido se passar dos limites, a não ser que seja muito competente no que faz. Neste caso, o chefe pode relevar sua atitude, pois sabe que tem nas mãos uma pessoa que o atende bem tecnicamente”, conta.