PIS: a quatro dias do prazo final, mais de 494 mil ainda não sacaram benefício

O montante ainda não sacado, que volta ao FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador), equivale a R$ 205 milhões

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Faltam apenas quatro dias para terminar o prazo de pagamento do PIS (Programa de Integração Social), em 30 de junho. Mesmo assim, mais de 494 mil pessoas ainda não sacaram o abono relativo ao exercício 2007/2008 (ano-base 2006), que corresponde a um salário mínimo.

O montante ainda não sacado equivale a R$ 205 milhões. Quem não efetuar a retirada até o prazo final perde o direito ao benefício, que é devolvido ao FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador).

Neste exercício, ocorre o maior pagamento da história do benefício, com liberação de 11,91 milhões de abonos, em um total de R$ 4,205 bilhões, 21% a mais do que no exercício anterior.

Novo calendário

Aprenda a investir na bolsa

O novo calendário do PIS, referente ao exercício 2008/2009, começa em 8 de agosto deste ano e vai até 18 de novembro do próximo ano. Cerca de 12 milhões de trabalhadores têm direito ao abono e 29,8 milhões aos rendimentos.

Antes de ir aos locais de atendimento, é importante o trabalhador verificar primeiro se recebeu ou não os benefícios antecipadamente, por meio de crédito em conta. Para se certificar, basta olhar os extratos bancários de julho e novembro de 2007 e também os contracheques dos salários de julho, agosto ou setembro do ano passado.

O trabalhador que tem direito ao PIS e possui o Cartão do Cidadão pode fazer o saque nos caixas eletrônicos da Caixa Econômica Federal, nas lotéricas e nos postos Caixa Aqui. Quem não tem o Cartão do Cidadão deve procurar agência da Caixa e levar documentos de identidade e comprovante de inscrição no PIS.

Regras

De acordo com as regras do programa do Ministério do Trabalho e Emprego, todo trabalhador da iniciativa privada que estiver cadastrado no PIS até 2002, que tenha trabalhado, no mínimo, 30 dias em 2006, com carteira de trabalho assinada pela empresa e tenha recebido, em média, até dois salários mínimos mensais, poderá sacar o benefício.