Pesquisa da CNI sinaliza queda na atividade industrial em janeiro

Faturamento da indústria e rendimento médio do trabalhador caíram 1,3% e 14,9%, respectivamente, na passagem mensal

SÃO PAULO – Divulgada nesta segunda-feira (14) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), a pesquisa Indicadores Industriais mostrou que tanto o faturamento da indústria como a massa salarial e o rendimento médio real do trabalhador do setor registraram queda na passagem de dezembro de 2010 para janeiro deste ano, sinalizando desaquecimento da atividade industrial.

Pela segunda vez consecutiva o faturamento real apresentou queda, desta vez de 1,3% sobre o mês anterior. Entretanto, o indicador registrou crescimento de 7,9% quando comparado com o nível de janeiro de 2010, sendo que em oito dos 19 setores da indústria de transformação que fizeram parte da pesquisa o crescimento superou 20%. 

Indicadores Industriais CNI*
Passagem de dez/2010 para jan/2011
Faturamento real

 -1,3%

Horas trabalhadas0,6%
Rendimento Médio-14,9%
UCI82,6%
Emprego0,2%
* Dados sem ajuste sazonal
Fonte: CNI

Para Flávio Castelo Branco, gerente executivo de políticas econômicas da CNI, alguns fatores como o aumento da taxa de juros, as oscilações na economia mundial, restrição do crédito e a questão do câmbio irão atenuar o ritmo de crescimento da produção industrial, que destoará do observado em 2009 e no primeiro semestre de 2010.

PUBLICIDADE

Aumento do emprego estimula massa salarial
Segundo a CNI, a massa salarial registrou queda de 15% sobre dezembro, principalmente em razão do recuo de 14,9% no rendimento médio real do trabalhador na passagem mensal, justificado pelos pagamentos extras de final de ano que alteram a base comparativa.

Entretanto, a massa salarial registrou crescimento de 4% em comparação com o mês de janeiro de 2010, o que de acordo com a CNI ocorreu em função do aumento de emprego observado em quase todo o ano passado no Brasil. Por outro lado, o rendimento médio real do trabalhador caiu 0,9% nesta mesma base comparativa.

Variações positivas
Alguns índices como o número de horas trabalhadas e a utilização da capacidade instalada (UCI) se destacaram por registrarem crescimento.

O número de horas trabalhadas, por exemplo, avançou 0,6% entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011. Já na comparação com janeiro de 2010 o crescimento foi de 3,7%.

Por sua vez, a UCI dessazonalizada atingiu 82,6% em janeiro frente a 82,4% em dezembro, “alta que recupera a perda registrada em dezembro passado”, de acordo com a CNI. Por fim, o índice apresentou crescimento de 1,4 ponto percentual em relação a janeiro de 2010.