Pesquisa da CNI aponta estabilidade na atividade da indústria em 2004

Exceção ficou por conta da evolução da massa salarial, que na comparação com fevereiro do ano passado cresceu 7,24%

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A pesquisa da CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgada nesta quarta-feira, dia 14, referente à atividade industrial no mês de fevereiro, sugere que a interrupção da tendência de queda da taxa Selic em dezembro de 2003 quebrou o ciclo de crescimento da atividade industrial. Nesse contexto, o relatório constata que a atividade industrial ficou acomodada até fevereiro de 2004.

A maioria dos indicadores da pesquisa se mostrou estável. A única exceção ficou por conta da massa de salários reais, que registrou forte aumento, deixando claro que está havendo uma recomposição dos salários na indústria.

Fevereiro é atípico

Como ressalta o relatório da CNI, o mês de fevereiro é atípico por ter quatro dias de trabalho a menos por conta do carnaval e quarta-feira de cinzas. Em decorrência de ser mais curto, fevereiro é o mês mais fraco em termos de desempenho para a atividade industrial no ano.

Ainda de acordo com o relatório, as vendas da indústria sofreram uma leve queda (-0,94%) no mês de fevereiro em relação ao mês anterior. Já o nível de utilização da capacidade industrial permanece praticamente constante nos últimos cinco meses, em torno de 80,4%.

Aprenda a investir na bolsa

O número de pessoas empregadas e de horas trabalhadas também ficou relativamente estável nos últimos doze meses, sofrendo uma leve queda, de 0,12% e 0,27%, respectivamente.

Salários reais subiram forte

Os salários reais, no entanto, apresentam uma firme trajetória de crescimento, recompondo seu poder de compra, graças à estabilidade de preços e à recuperação das vendas industriais no segundo semestre de 2003.

Na comparação mensal com janeiro, os salários registraram uma expansão, em termos reais, de 1,20%, enquanto na comparação anual com fevereiro do ano passado o aumento foi de 7,24%. Com isso, o crescimento acumulado no ano já é de 5,76%. Nos últimos doze meses, os salários reais caíram somente em duas ocasiões.