Pesquisa: 94% dos profissionais têm intenção de mudar de emprego este ano

O principal motivo que levam a decisão é não enxergar na empresa atual a possibilidade de crescimento

SÃO PAULO – Um levantamento realizado pela Trabalhando.com revelou que 94% dos profissionais pretendem mudar de emprego neste ano. Apenas 5% declararam que estão satisfeitos com a empresa onde trabalham e 1% afirmou que não gosta de mudar de emprego, pois isso pode deixar seu currículo instável.

O principal motivo que leva as pessoas a tomarem esta decisão é não enxergar na empresa em que trabalham atualmente a possibilidade de crescimento. A resposta foi apontada por 57% dos entrevistados.

Outros 37% disseram que querem sair do cargo atual porque o mercado de trabalho está aquecido e, por isso, este é um bom momento para buscar novas oportunidades, que tenham uma remuneração mais atrativa.

PUBLICIDADE

Para mudar, é preciso planejamento
Mas não basta apenas querer mudar de emprego; é necessário que o profissional faça um planejamento. É o que afirma o diretor-geral da Trabalhando.com Brasil, Renato Grinberg.

Para ele, os dados da pesquisa apontam uma tendência excelente, já que revela que as pessoas não estão acomodadas. Entretanto, existe diferença entre a intenção e a ação.

“Muitos desses profissionais só conseguirão realmente realizar essa mudança se possuírem um planejamento claro de como chegar lá e colocarem essas ações em prática. É preciso transformar o sonho de se conseguir uma oportunidade melhor em um objetivo real”.

Sinais que podem ajudar
Ele aconselha que o profissional faça uma avaliação para entender o que leva à insatisfação com o emprego atual. Segundo o especialista, algumas vezes, a insatisfação está relacionada a fatores pessoais que são alheios à empresa.

Para os que estão considerando a possibilidade de buscar uma nova oportunidade, Grinberg destaca alguns sinais que podem indicar se o momento realmente requer uma mudança. Confira abaixo:

  • Marasmo: a falta de novos desafios e o estabelecimento de uma rotina geram a sensação de que não se aprende e não se desenvolve mais, fazendo com que o profissional se sinta estável e em uma situação tranquila demais;
  • Desânimo e insatisfação: o profissional sai de casa praticamente se “arrastando” porque, quando pensa em ir para a empresa, sente que está indo para uma sessão de tortura;
  • Cansaço e saturação: quando a dedicação e o interesse na empresa são totais, pouco se questionam as atitudes e decisões do chefe ou dos colegas de trabalho. Se começa a haver excesso de questionamento e opiniões divergentes, pode ser um sinal de que a visão desse profissional não está mais alinhada com a da empresa;
  • Perder a admiração pelo chefe: quando o profissional passa a não admirar e respeitar mais seu chefe direto é um sinal claro de que as coisas não vão bem. Perder a admiração pelo gestor é um bom motivo para começar a buscar outras oportunidades.