Peso do desemprego como causa da inadimplência volta a subir este ano

Em setembro deste ano, 48% atrasaram pagamentos por ter perdido o emprego, ante 36% em 2009 e 46% em 2008

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O desemprego continua sendo a principal causa da inadimplência e apresentou alta como motivo para atraso nos pagamentos, comparando setembro do ano passado com o mesmo mês deste ano, segundo dados da Pesquisa de Inadimplência, realizada pela ACSP (Associação Comercial de São Paulo) e divulgada nesta quarta-feira (6).

Em setembro deste ano, dos 950 entrevistados para o estudo, 48% afirmaram que ficaram desempregados e, por isso, não conseguiram manter as contas em dia. No mesmo mês do ano passado, 36% das pessoas haviam declarado a mesma razão e, em setembro de 2008, o desemprego era apontado por 46% dos respondentes.

Se for considerado também algum integrante da família, o desemprego como causa da inadimplência sobe para 50%. Apesar do alto índice, apenas 10% dos entrevistados afirmaram ter perdido o emprego este ano. Já 53% afirmaram que perderam o emprego em 2008 e 2009, durante a crise internacional do crédito, enquanto 37% ficaram desempregados entre 2000 e 2007.

Aprenda a investir na bolsa

Considerando outros motivos, destaca-se o recuo da falta de controle nos gastos, de 15% em setembro do ano passado, para 11% este ano, e do fato de ter sido avalista, fiador ou ter emprestado o nome, de 11% para 9%, na mesma base comparativa.

Outras causas
Além do descontrole e do próprio desemprego, queda da renda também está entre as razões que levaram as pessoas a ficarem inadimplentes, conforme a tabela a seguir:

MotivoSetembro de 2009Setembro de 2010
Ficou desempregado36%48%
Alguém da família ficou desempregado6%2%
Doença em família7%6%
Descontrole do gasto15%11%
Queda de renda8%7%
Ter sido fiador ou avalista11%9%
Atraso no salário7%0%
Outros10%13%