Peso do desemprego como causa da inadimplência cai em três anos

Em março deste ano, 38% adquiriram dívidas por ter perdido o emprego, percentual que foi de 42% em 2009 e de 52% em 2008

SÃO PAULO – O desemprego continua sendo a principal causa da inadimplência, mas vem apresentando queda como motivo para atraso nos pagamentos nos últimos três anos, segundo dados da Pesquisa de Inadimplência, realizada pela ACSP (Associação Comercial de São Paulo) e divulgada nesta quarta-feira (31).

Em março deste ano, dos 830 entrevistados para o estudo, 38% afirmaram que ficaram desempregados e, por isso, não conseguiram manter as contas em dia. No mesmo mês do ano passado, 42% das pessoas haviam declarado a mesma razão e, em março de 2008, o desemprego era apontado por 52% dos respondentes.

O desemprego de alguém da família foi responsável por 6% das respostas, mesmo percentual de março do ano passado e dois pontos percentuais superior a março de 2008.

PUBLICIDADE

Considerando outros motivos, destaca-se o aumento da falta de controle nos gastos, de 12% na pesquisa anterior para 14% na atual, e do fato de ter sido avalista, fiador ou ter emprestado o nome, de 8% para 13%, na mesma base comparativa.

Outras causas
Além do descontrole e do próprio desemprego, ter recebido salário atrasado também está entre as razões que levaram as pessoas a ficarem inadimplentes, conforme a tabela a seguir:

MotivoMarço de 2009Março de 2010
Ficou desempregado42%38%
Alguém da família ficou desempregado6%6%
Doença em família9%7%
Descontrole do gasto12%14%
Queda de renda6%9%
Ter sido fiador ou avalista8%11%
Atraso no salário4%5%
Outros13%10%