AO VIVO Análise Técnica na prática: como um trader ganha dinheiro na Bolsa?

Análise Técnica na prática: como um trader ganha dinheiro na Bolsa?

Perfil profissional: confira em qual você se enquadra

É comum observar os colegas de trabalho e enxergar neles traços peculiares de comportamento; já tentou analisar a si próprio? Experimente!

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O trabalho em equipe é bastante rico e desafiador, já que reúne diferentes profissionais, com suas características marcantes, sejam positivas ou não.

Profissionais de recursos humanos destacam que é justamente nesta diversidade de perfis que se consegue formar, com trabalho e dedicação, um grupo coeso e eficiente.

Mas você já pensou nos diferentes tipos de personalidade e comportamento que as pessoas costumam apresentar no ambiente de trabalho?

Características marcantes

Aprenda a investir na bolsa

Alguns traços de personalidade são marcantes, ficando fácil para você, ao analisar seus colegas no dia ou observando a si mesmo, identificá-los.

É o caso, por exemplo, daquele profissional que vive apagando incêndios, mas não dá conta do seu trabalho: corre de um lado para outro, preocupa-se com os problemas alheios, trabalha sem qualquer planejamento e, ao final de um dia exaustivo, não apresenta nada de concreto!

Mudar para quê?

Há ainda o profissional avesso às mudanças: está há tempos na empresa e, embora nem sempre esteja satisfeito com a rotina, afirma que “em time que está ganhando, não se mexe”.

O conformista acredita que é sempre melhor deixar tudo como está, com medo de se perder vantagens, adquiridas pelo tempo “de casa”, na inovação.

Sei tudo sim…e daí?

Quem acha que sabe muito, cai numa tremenda armadilha. Para os que estão à sua volta, trabalhar com alguém “bem dotado” de conhecimentos é positivo…só no início.

Porém, com o tempo, esses profissionais com grande experiência profissional e acadêmica passam a achar que já sabem e viram de tudo, o que os leva ao excesso de autoconfiança e, pior ainda, ao desinteresse.

PUBLICIDADE

Com medo de perderem espaço, negam-se a dividir conhecimento e a treinar
seus companheiros de equipe. Vangloriando-se pela experiência adquirida, sua presença acaba sendo danosa ao resto do grupo.

Onde há um esconderijo?

Cada um por si é o grito de guerra deste profissional, que geralmente tem bons resultados em sua avaliação de desempenho, mas não esboça qualquer preocupação com relação à equipe.

Vive afundado em sua cadeira, como se fosse sua “caverna”; recusa-se, muitas vezes inconscientemente, a treinar outros membros da equipe e fala pouco ou quase nunca, evitando se envolver “em problemas que não são seus”.

E então, definiu o seu perfil? Observe sua postura e seu desempenho de forma bastante imparcial. Em breve perceberá os resultados. Boa sorte!