Para Lupi, inflação no preços dos alimentos não afeta a criação de empregos

Apesar da queda no número de empregos formais em abril, o ministro mantêm o otimismo e acredita em recorde para maio

SÃO PAULO – Para o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, o aumento da inflação ainda não ameaça a geração de empregos no País. Segundo a Agência Brasil, ele acredita que a inflação está localizada no setor específico de alimentos e está sob controle.

“Esse conceito internacional do Brasil (grau de investimento), a queda do dólar, são fatores que acabam ajudando para que o Brasil tenha inflação com maior controle”, afirmou durante a divulgação dos números do Caged (Cadastro Geral de Empregos e Desempregados) de abril.

Queda no emprego

O quarto mês do ano apresentou queda no número de empregos formais, na comparação com o mesmo período do ano passado. Mesmo assim, Lupi acredita que haverá recorde na criação de novas vagas em maio. Para ele, o número será maior do que o registrado no quinto mês de 2004, quando foram criados 292 mil postos de trabalho.

PUBLICIDADE

Na previsão para 2008, o ministro também é otimista, e espera a criação de 1,8 milhão e empregos formais, além de um crescimento de 6% do PIB (Produto Interno Bruto).

Porém, Lupi defende a estabilização da taxa básica de juros, e criticou a sua elevação feita em abril, de 11,25% para 11,75%. “Acho que essa alta de juros vai ter que ser reavaliada porque o dólar continua em queda, o conceito internacional do Brasil teve um upgrade. Com isso, o Banco Central tem que avaliar esse impacto para não acabar com a política externa de exportação”, considerou.