Para Lupi, em 2008 deverão ser criados 2 milhões de novos empregos formais

São 400 mil empregos a mais do que no ano passado, o que representa um crescimento de 25%

SÃO PAULO – Para o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, o número de novas vagas de trabalho formal no país deverá chegar a 2 milhões, número 25% maior do que o registrado em 2007.

Segundo a Agência Senado, o entusiasmo do ministro, demonstrado durante uma audiência pública na CAS (Comissão de Assuntos Sociais), também esteve acompanhado de uma preocupação com a empregabilidade da força de trabalho disponível.

“Estamos batendo recordes na geração de empregos, mas a questão da qualificação é o grande desafio”, afirmou. De acordo com Lupi, um milhão de trabalhadores não foram contratados no ano passado por não possuírem as qualificações necessárias.

Jovens

PUBLICIDADE

Na audiência, também foram discutidas políticas de inserção e qualificação de jovens para o mercado de trabalho. Para Lupi, pela primeira vez a oferta de emprego cresce de forma proporcionalmente maior em favor de jovens e pessoas com mais de 50 anos.

“Essas são duas faixas de empregabilidade. A tendência das empresas é empregar os jovens, pela força e vigor, e os mais experientes. As empresas estão quebrando a discriminação anterior, quando se achava que as pessoas com mais de cinqüenta anos deveriam ficar em casa, abandonadas”, afirmou.

O ministro também destacou as ações que estão sendo feitas para qualificação dos jovens, como o Pró-Jovem, com a atuação articulada de vários ministérios. “A empregabilidade é um dos requisitos para a manutenção dos convênios com prefeituras e entidades, que devem oferecer garantia de empregos para aos menos 30% dos matriculados. Se não for atingido esse percentual, o convênio pode ficar sujeito a outras sanções”, disse Lupi.