Para especialista, mulheres precisam aliar competências para serem boas executivas

Segundo especialista, é preciso alcançar o equilíbrio entre competências femininas e masculinas

SÃO PAULO – Para ocuparem cargos de liderança, as mulheres devem aliar características femininas e masculinas, na avaliação do especialista em desenvolvimento de executivos da Integraal Human Performance, Alexandre Costa.

De acordo com o especialista, o ambiente corporativo brasileiro valoriza competências como autonomia, independência, ação, foco, intensidade e velocidade – o que, segundo ele, são aptidões que fazem parte do universo masculino, por isso, a facilidade deles em desenvolvê-las. 

Ele ressaltou, porém, que essas características também podem ser desenvolvidas por elas. “No ‘chip’ feminino estão pré-programadas outras habilidades relacionadas à natureza feminina, tais como interrelação, conexão, relacionamento, responsabilidade e acolhimento”, argumentou em nota o especialista.

PUBLICIDADE

“Claramente, essas competências também são importantes e vêm ganhando cada vez mais destaque no universo corporativo. Contudo, possuí-las bem desenvolvidas apenas não é suficiente”, concluiu.

A executiva ideal
Segundo Costa, 
as competências emocionais e comportamentais para que a mulher alcance o perfil da executiva ideal podem ser desenvolvidas por meio de treinamento e exercícios diários, com foco no desafio de cada cliente, no seu estilo de vida e aprendizagem. Para tanto, porém, é necessário o acompanhamento de um profissional que possa ajudar a executiva nesse processo.

“O mais importante é estar disposta a trabalhar para promover mudanças positivas no comportamento”, ressaltou. “O resultado é um crescimento sustentável, mas tranquilo e sem sofrimento”, argumenta Costa.

Ele diz ainda que, com treinamento que aborde múltiplas dimensões, como a física, mental, emocional e espiritual, qualquer profissional pode obter crescimento, independentemente da área de atuação ou mesmo idade.