Papel na sociedade: ser empreendedor é, acima de tudo, uma função social

"Não existe nada mais singelo no mundo do que proporcionar renda a outras pessoas", explica Jerônimo Mendes

SÃO PAULO – “Empreendedor é o indivíduo criativo, capaz de transformar um simples obstáculo em oportunidade de negócio. No Brasil, estima-se que existam 15 milhões de pessoas consideradas empreendedoras”, explica o palestrante Jerônimo Mendes, autor do livro “Oh, Mundo Cãoporativo!”

Mas engana-se quem tem aquela imagem de que o empresário é um capitalista frio, que só pensa em dinheiro. Alguns deles podem ser assim, mas o fato é que dirigir uma empresa, independentemente do seu porte, exige muita responsabilidade. Já parou para pensar por quantas vidas cada empresário é responsável? Não só seus funcionários dependem dele, mas também as famílias de seus funcionários.

Sonhos que se traduzem em empregos

Via de regra, o empresário é um sonhador. Ele teve uma idéia e se planejou para torná-la realidade. “É um sonho que se traduz em empregos”, diz Mendes. “Não existe nada mais singelo no mundo do que proporcionar renda a outras pessoas”.

PUBLICIDADE

Gerar emprego e renda para as pessoas e participar do crescimento do País não são funções atribuídas a qualquer um. É preciso ter coragem para assumir os riscos e tamanha responsabilidade.

O empresário deve ter plena consciência disso, para que pese muito bem as suas decisões. Não dá para contratar alguém se não terá como pagar o trabalhador. Não dá para demitir um profissional baseando-se somente em um impulso. Tudo deve ser ponderado e os riscos devem ser medidos.

“Perante uma crise global como a que vivemos hoje, caso o empresário se apavore e demita seus funcionários, provavelmente irá antecipar a crise”.

Mas nem tudo são flores…

Responsabilidade maior ainda é a de manter a empresa aberta. Mendes lembra que o número de micro e pequenas empresas que fecham antes de completar os cinco anos de vida ainda é “cruel”. Daí a importância de se planejar financeiramente, de fazer uma pesquisa de mercado antes de abrir a empresa, e de implementar uma gestão profissional, sem misturar as contas da empresa com as pessoais.

“Não adianta o empreendedor ser empolgado e otimista, se ele não sabe administrar. Ele deve ser comprometido e ter disciplina”, finaliza o empresário e palestrante.