Competitividade

País precisa de mão de obra qualificada e de técnicos bem formados, diz Dilma

Para estimular essa indústria o Pronatec conta com 2,2 milhões de jovens matriculados nos cursos técnicos

SÃO PAULO – No seu programa semanal “Café com a Presidenta”, Dilma Rousseff reforçou que o País precisa de uma indústria forte e competitiva para crescer e criar oportunidades de trabalho. Para estimular essa indústria o Pronatec (Progama Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) já conta com 2,2 milhões de jovens matriculados nos cursos técnicos oferecidos nas escolas federais e estaduais e também no Senai e Senac.

“A indústria gera tecnologia, cria novos produtos e serviços, e estimula outros setores da economia, como o comércio e os serviços. Mas, para ter uma indústria forte, o País precisa de mão de obra qualificada e de técnicos bem formados”, disse a presidente.

Segundo Dilma, além de formar engenheiros, matemáticos, médicos e professores, o Brasil vai precisar formar também técnicos em Automação Industrial, Petróleo e Gás, Mineração, Mecatrônica, Manutenção de Aeronaves, Eletrônica, Indústria Naval, Computação e muitas outras áreas.

PUBLICIDADE

Em um ano, o Pronatec já atingiu 1,1 milhão de matrículas nos cursos técnicos, de aprendizagem profissional e de qualificação do Senai. De acordo com a presidente esta parceria vai “garantir que governo e Senai formem uma geração de jovens e trabalhadores em cursos de alta qualidade e sintonizados com as necessidades da indústria”.

O governo está financiando R$ 1,5 bilhão para o Senai investir na construção de 53 novas escolas e também na modernização e na ampliação de 251 escolas já existentes.