País cria mais de 135 mil empregos com carteira assinada em agosto

Nível de emprego cresce 5,19% em 12 meses e 0,53% frente a julho; São Paulo foi o Estado que mais contratou

SÃO PAULO – O mercado brasileiro de trabalho formal criou 135,460 mil vagas profissionais em agosto, incrementando em 0,53% seu contingente total de mão-de-obra, segundo informa o Ministério do Trabalho e Emprego com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta quarta-feira (21).

Ao se considerar a somatória de contratações de janeiro a agosto deste ano, a geração de postos profissionais atinge 1,219 milhão de empregos, avanço de 4,95% sobre 2004. Já no acumulado dos últimos 12 meses, o número de postos de trabalho criados é de 1,276 milhão, ou variação positiva de 5,19%.

Serviços contratou mais em agosto

No que se refere aos empregos gerados em agosto, o Caged demonstra que Serviços foi o setor que abriu mais vagas de trabalho, totalizando um saldo de 70,181 mil admissões e crescimento de 0,70% nas vagas profissionais. “Foi o melhor desempenho do setor desde abril”, destacou o ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho.

PUBLICIDADE

Com outros 43,353 mil empregos criados no oitavo mês do ano, o Comércio aparece na segunda colocação da lista, com evolução de 0,75% em seu contingente de trabalhadores. Logo após aparece a Construção Civil, com a abertura de 18,285 mil postos (1,69%), o maior saldo mensal desde agosto de 2004.

A Indústria de Transformação apresentou leve recuperação em relação ao mês anterior, empregando 18,173 mil trabalhadores (0,30%).

Mais empregos no Sudeste e Nordeste

Em termos geográficos, o Sudeste (73,196 mil) e o Nordeste (30,083 mil) foram as regiões que abriram o maior número de vagas. Destaque para São Paulo, que criou 55,956 mil empregos, e Paraná, com 10,319 mil vagas.

Mas nem todos os Estados apresentaram desempenho semelhante. Em Minas Gerais, foram cortadas 339 vagas. O Rio Grande o Sul está com 4,376 mil postos a menos e o Mato Grosso perdeu outros 1.587 empregos.