Negócios

Os 3 detalhes que tornavam as reuniões de Steve Jobs perfeitas (mas assustadoras)

Steve Jobs sabia como não perder tempo e fazer com que cada reunião alcançasse seus objetivos e fizesse o bem para a empresa

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Reuniões podem ser enfadonhas, tediosas e, em muitos casos, não produtivas. Embora seu conceito seja algo que faça sentido, a prática é muito diferente e pode acabar se tornando uma perda de tempo (e produtividade) em sua empresa.

Mas uma pessoa sabia como fazer das reuniões algo essencial: Steve Jobs. Ele sabia como não perder tempo e fazer com que cada reunião alcançasse seus objetivos e fizesse o bem para a empresa.

Confira como ele fazia isso, segundo o Business Insider:

PUBLICIDADE

1. Ele fazia as reuniões com a menor quantidade de gente possível
No livro “Insanely Simple”, o colaborador de Jobs, Ken Segall, detalhou como era trabalhar com o empreendedor. Ele sempre controlava o número de pessoas que participavam das reuniões da empresa, chegando ao ponto de até “expulsar” pessoas delas – às vezes, de forma bruta.

Em uma história, ele foi bastante rude. “Eu acho que você não é necessária nesta reunião, obrigado”, chegou a dizer para uma mulher que trabalhava na agência de publicidade de umas reuniões e que não havia sido convidada formalmente por ele. 

Em um episódio, inclusive, ele recusou um convite de Barack Obama para participar de uma reunião, pois acreditava que tinham muitas pessoas participando.

2. Ele sempre tinha alguém responsável por um item que seria discutido
Segundo o repórter da revista Fortune, Adam Lashisnky, a mentalidade de Jobs era “mentalidade de responsabilidade” – o que significa que todos os processos eram divididos e cada pessoa sabia pelo que era responsável.

Um ex-funcionário da empresa diz que uma reunião da Apple tem uma “lista de ação” – o que cada pessoa discutirá. Isso foi muito útil principalmente quando a empresa ainda era uma start-up: se cada um tivesse um “bebê”, eles eram muito, mas muito mais cuidadosos do que sobre algo que não tinha responsáveis. 

3. Ele não deixava que as pessoas se escondessem atrás do PowerPoint
O autor da biografia de Steve Jobs, de mesmo nome, afirmou que “Jobs odiava apresentações formais, mas amava reuniões pessoais”. Todas as tardes de quarta-feira, ele tinha reuniões com suas equipes de marketing e publicidade.

PUBLICIDADE

Ele também proibia o uso de apresentações de slides, pois ele preferia que a equipe fizesse debates e tivesse pensamento crítico, sem se apoiar na tecnologia.