Carreira

Oito passos para buscar um novo emprego e virar o jogo na crise

Confira o manual de sobrevivência para executivos que perderam o emprego

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Dados recentes do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelam que a taxa de desemprego subiu no segundo trimestre deste ano e chegou a 8,3%, registrando a maior taxa da série histórica, que teve inicio em 2012.

A população desocupada, de 8,4 milhões de pessoas, subiu 5,3% frente ao primeiro trimestre de 2015 e, ante o 2º trimestre de 2014, o avanço foi de 23,5%.

Embora ninguém espere passar por isso, é cada vez mais comum notarmos o fantasma do desemprego rondando nossa rede de relacionamentos. Mas caso você seja demitido, não precisa ficar preocupado. Especialistas da Michael Page, empresa de recrutamento, garantem que tem como voltar ao mercado de trabalho mesmo em época de crise.

PUBLICIDADE

Passado o primeiro momento de angustia, chamado de luto demissional, é chegada a hora de reagir, afinal, a vida continua, sua carreira continua e, principalmente, as contas e responsabilidades também continuarão.

De acordo com Ricardo Rocha, headhunter da Michael Page especializado em Recursos Humanos, passam muitas dúvidas pela cabeça do profissional em uma situação como essa. “Abrir o próprio negócio, investir em uma especialização, buscar oportunidades em outro setores ou até mesmo em outros estados? Essas são apenas alguns questionamentos de executivos que perderam o emprego neste momento turbulento da economia nacional”, afirma.

O executivo precisa ter bastante clareza nos seus objetivos futuros seja em uma mudança de setor, carreira ou até mesmo na abertura do próprio negócio. A crise, apesar da dificuldade momentânea, pode ser a oportunidade ideal para os profissionais buscarem novas posições ou se lançarem em projetos pessoais.

Confira o “manual da sobrevivência” elaborada pela empresa com oito dicas imprescindíveis para profissionais que buscam uma recolocação no mercado de trabalho:

1- Posicionar-se corretamente no Linkedin
Quanto mais ativo o executivo é no Linkedin (fóruns, grupos de discussão, indicações de vagas), mais fácil é descobrir caminhos e conexões interessantes, que podem funcionar como uma ponte para uma oportunidade profissional.
Solicitar uma apresentação através de um contato é mais efetivo do que abordar diretamente um profissional fora de sua rede. Cuidado também ao se candidatar para todo tipo de vaga, inclusive aquelas para a qual não tenha os requisitos necessários, apenas para abrir um contato com RH/requisitante: isso pode sinalizar desespero ou até mesmo falta de confiança no real interesse do profissional.

2- Networking
Manter o networking ativo não pode ser uma prática exclusiva de momentos de desemprego ou dificuldade. Na verdade, a maneira como o executivo se porta nos bons momentos profissionais em relação a sua rede de relacionamentos, poderá determinar a ajuda ou indicações que receberá quando estiver enfrentando uma situação assim.
Caso o executivo necessite reativar seu networking, deve num primeiro momento dividir sua situação com pessoas do círculo mais próximo. Sair disparando contatos para pessoas que não são próximas pode ser inócuo e “queimar” um contato potencial.

PUBLICIDADE

3- Investir em especialização
Do ponto de vista dos recrutadores/empresas, é importante perceber se o profissional procurou se manter atualizado durante o período em que estiver buscando recolocação. Procure investir em especializações que possam complementar seu conhecimento ou que supram algum “gap” profissional.  

4- Olhar para outros setores
O período de transição profissional pode ser um bom momento para pesquisar a fundo sobre outros setores que tenha interesse de trabalhar, e quais são os requisitos e conhecimentos necessários, desde que o executivo tenha claro no que esta mudança irá agregar em termos de carreira. Vale ressaltar que para uma recolocação, é sempre mais fácil buscar oportunidades onde o profissional já tenha experiência.

5- Abrir o próprio negócio
A decisão de empreender não pode ser somente uma consequência de um desligamento do profissional. Apesar do momento ser propício para mudar o rumo de carreira, deve ser uma decisão planejada, com um plano de negócios claro, para evitar uma frustração ainda maior caso o negócio não dê certo, e também não gastar dinheiro indevidamente em um momento onde o profissional precisa planejar suas reservas financeiras. Por outro lado, para executivos que já cultivavam este pensamento, pode ser o momento ideal para dedicar-se integralmente a um projeto empreendedor, já que muitos negócios também fracassam prematuramente, quando não há tempo nem dedicação suficientes.

6- Frequentar eventos
Esta á uma excelente ação, complementar ao networking. Participar de eventos e palestras relacionados a sua área de atuação, faz com que o profissional se mantenha atualizado e com possibilidade de acesso a outros executivos que não façam parte de sua rede de contatos.

7- Procurar headhunter
É muito importante manter contato com headhunters, pelo fato destes profissionais terem acesso as principais vagas do mercado, que muitas vezes não são divulgadas publicamente.
Por outro lado, cabe o mesmo princípio do networking: a construção do relacionamento com um headhunter ao longo do tempo é mais efetiva do que a procura somente em momentos de desligamento, afinal, quanto maios familiarizado o headhunter estiver sobre suas experiências, maiores as chances de considera-lo para um projeto alinhado com seu perfil. Procure ser objetivo nos contatos – lembre-se que um headhunters analisa diversos profissionais por dia – e não ser insistente ou repetitivo nas abordagens. A entrevista pessoal é muito mais adequada para explicar detalhes de sua carreira do que um e-mail.

8- Oportunidade em outros estados/países
Decisões que envolvem questões pessoais também precisam ser muito bem avaliadas, para que não sejam precipitadas e motivadas pelo desemprego. Obviamente, cada um sabe o quanto o lado financeiro pesa em um momento como esse, mas vale sempre considerar a questão de adaptação (própria e da família) a uma nova cultura.
Uma recolocação mal planejada e curta, pode ter impactos negativos no currículo do profissional. De qualquer maneira, é um momento onde o profissional deve estar mais aberto e atento para esse tipo de oportunidade, que pode representar uma oportunidade profissional diferenciada, que irá torná-lo um profissional mais completo: que toma riscos, que não se acomoda, que busca o novo e de maior adaptabilidade.