OIT: número de mulheres trabalhando aumentou, mas desigualdades continuam

Em 2007, havia 1,2 bilhão de mulheres empregadas, mas os salários ainda são menores na comparação com os homens

SÃO PAULO – As mulheres estão trabalhando mais do que nunca. Em todo o mundo, o número de trabalhadoras aumentou 200 milhões, atingindo um total de 1,2 bilhão, até o fim de 2007. O número ainda é menor do que o de homens empregados, que é de 1,8 bilhão.

Apesar disso, as mulheres continuam ganhando menos, com menos estabilidade no emprego e sem proteção social, é o que informa o relatório da OIT (Organização Internacional do Trabalho), “Tendência Mundial o Emprego das Mulheres”, divulgado na noite da quinta-feira (6).

Desempregadas

O aumento no número de mulheres empregadas também foi acompanhado pelo crescimento da quantidade de desempregadas, que passou de 70,2 milhões para 81,6 milhões nos últimos dez anos.

Nessa situação, as mulheres também estão em desvantagem, comparando à situação dos homens, já que a taxa de desemprego entre elas é de 6,4%, enquanto a deles é de 5,7%. De acordo com a OIT, para cada 100 homens economicamente ativos, há somente 70 mulheres na mesma situação.

Entre as áreas que mais empregam as pessoas do sexo feminino, o setor de serviços responde por 46,3% das vagas, enquanto a agricultura é responsável por 36,1% dos empregos.