Ocupação na Grande SP sobe apenas 0,3% e mantém estabilidade em agosto

De acordo com Seade/Diesse, foram criados 8.344 postos de trabalho; estabilidade dos setores contribuiu para a ligeira oscilação

SÃO PAULO – O índice de ocupação na região metroplitana de São Paulo, no mês de agosto, permaneceu relativamente estável (0,3%), na comparação a julho.

Os dados são da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), na Região Metropolitana de São Paulo, realizada pela Fundação Seade, em parceria com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos), e divulgada nesta quarta-feira (21).

Ocupação por setor

O mesmo comportamento do nível de ocupação no mês de agosto foi observado na Indústria (0,3%) que contratou apenas 4 mil no mês. Em sentido inverso, o setor de Serviços cortou 4 mil vagas (-0,1%), após quatro meses de crescimento consecutivos. Por sua vez, o Comércio teve um acréscimo de 0,9% nas contratações, com 12 mil vagas.

PUBLICIDADE

Na comparação com o mesmo período de 2004, o Comércio foi o único setor a registrar queda (-1,4%) e redução de 18 mil pessoas do quadro de funcionários. Já o grupo Serviços foi o segmento que apresentou o resultado mais positivo, em comparação com igual período do ano passado, foram 129 mil contratação, alta de 3%. A Indústria contratou 1,8% a mais (29 mil) no último ano.

Empregos formais ajudaram no resultado positivo

De acordo com a PED, a alta de 1,2% no número de assalariados no mês de agosto é reflexo do bom desempenho do setor privado. No total foram criados 85 mil empregos com carteira assinada e eliminados outros 13 mil sem carteira, saldo positivo de 72 mil ocupações. Ao mesmo tempo diminuiu o número de trabalhadores autônomos (3 mil), em agosto.

Da mesma forma houve uma redução de 39 mil ocupações no número de contingente nas demais posições que incluem empregados domésticos, donos de negócio familiar, trabalhadores sem remuneração, profissionais liberais e outras posições ocupacionais.