O salário é fonte de motivação?

Segundo especialista em gestão de RH, troca fria de produção por salário não gera satisfação ao empregado, é apenas uma recompensa justa pelo trabalho

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A motivação é aquilo que move o ser humano, ou seja, o faz agir de uma maneira ou de outra e tomar determinadas posturas. Quando uma mulher recebe rosas do marido por um determinado agrado, não é motivada a agradecer com mais carinho? Quando os filhos ganham um dinheiro extra de mesada dos pais pelo bom comportamento, não passam a obedecer mais?

Se aplicarmos essa regra de motivação no ambiente de trabalho, podemos considerar o salário como fator motivador? Afinal, ele conduz as pessoas a tomarem decisões em suas carreiras ou não? Essa é uma discussão que a psicologia tenta explicar!

Análise psíquica

De acordo com o gestor em RH, Washington Sorio, associando teorias utilizadas em psicologia na questão de salário como fator de motivação, identifica-se que, indiretamente, ele contribui para as necessidades humanas. “As pessoas desejam dinheiro porque lhes permite não só a satisfação de necessidades fisiológicas e de segurança, mas também dá plenas condições para a satisfação das necessidades sociais, de estima e de auto-realização”.

Aprenda a investir na bolsa

Por este motivo, Sorio explica que o dinheiro não é um fim, ele não é o motivador, mas o meio que faz com que as pessoas atendam suas necessidades e, aí sim, se motivem. “O salário não é fator de motivação, quando analisado isoladamente. A troca fria de produção por salário não gera satisfação ao empregado, é apenas recompensa justa pelo seu trabalho e o empregado busca a garantia de sua sobrevivência”.

Carreira

A análise psíquica mostra que o dinheiro conseguido com o trabalho faz com que as pessoas tenham condições de atender suas necessidades e, diante disso, se motivem. Mas, do ponto de vista de sua carreira, o salário não determina que direção ela irá tomar?

Desta forma, ele pode ser visto como ponto de motivação. Afinal, quando você trabalha muito e recebe pouco, não se sente “desmotivado”, ou seja, insatisfeito e sem vontade de realizar atividades? Quando existem duas ofertas de emprego, mas um com salário maior, você não tende para esta opção, pesando, claro, outras variáveis?

Conclusão

A análise mostra que o salário é fator de motivação quando o ponto principal a ser analisado é sua carreira. Agora, para necessidades como uma boa moradia e sonhos de consumo, ele se torna apenas o meio pelo qual você se motivará para se sentir satisfeito!