afirma pesquisa

O perfil no Facebook diz como será seu desempenho no trabalho

Pesquisadores norte-americanos identificaram traços de personalidade importantes no ambiente profissional que podem ser observados na rede social

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Seu perfil do Facebook pode dar indícios de como você irá se comportar no trabalho aos futuros empregadores. Foi o que revelou um estudo defendido pelos pesquisadores da Universidade Old Dominion, nos Estados Unidos, Richard Landers e Katelyn Cavanaugh.

Landers e Cavanaugh identificaram dois traços de personalidade úteis na vida profissional que podem ser observadas na rede social: a consciência e extroversão.

A primeira refere-se a hábitos ligados à organização e obediência. Segundo os pesquisadores, profissionais que possuem essa característica têm mais probabilidade de sucesso no trabalho. “Obedecer prazos é universalmente uma característica apreciada por recrutadores”, disse Landers ao Business Insider.

PUBLICIDADE

A extroversão indica que a pessoa gosta de passar o tempo com grupos de pessoas, se relacionando. Essa característica também tem relação com o sucesso, mas para determinadas profissões que requer boa comunicação, como vendedores.

O teste
Para chegar ao resultado, os pesquisadores pediram para 146 participantes fazerem um teste de personalidade on-line sobre as características que eles acreditavam ter. Enquanto isso, um grupo de analistas classificaram os traços de personalidade dos participantes pelos perfis destes participantes na rede social.

Em seguida, ambos os testes de personalidade e os perfis descritos pelos analistas foram comparados. Curiosamente, os perfis no Facebook deram informações mais precisas que os próprios participantes. Segundo Landers, isso ocorre porque um perfil no Facebook pode fornecer dados de anos de comportamento on-line, enquanto um teste de personalidade é feito em pouco tempo.

“Para ter uma boa visualização da personalidade de uma pessoa no Facebook, você precisa ter uma dúzia ou mais de analistas julgando o perfil”, considerou Landres. “Isso porque cada um tem sua própria interpretação sobre o que constitui a extroversão ou consciência.”

Landers reconhece ainda que o recrutador não pode tomar como base apenas a análise do perfil de um candidato, já que ele pode não utilizar a rede social frequentemente e, portanto, não mostrar corretamente sua personalidade.