O colega está “puxando o seu tapete”? Saiba como agir

Para especialistas de Recursos Humanos, antes de tomar qualquer atitude, é necessário ter certeza de que o outro está realmente mal-intencionado

SÃO PAULO – Dentro das empresas existem profissionais de todos os tipos, eles podem ser divididos entre os bem intencionados e os mal intencionados. No último grupo, é possível encontrar aqueles que podem “puxar o tapete” do colega. Se esta situação é familiar, saiba o que fazer para se defender.

Para a consultora de RH (Recursos Humanos) e a coach, Maria Bernadete Pupo, a primeira questão que deve ser analisada é realmente ter certeza que o colega quer te prejudicar. “Muitas vezes, pode ser mania de perseguição. É mais fácil transferir o problema para o outro do que assumir as suas próprias responsabilidades”, alerta.

A mesma opinião é compartilhada pela sócia-diretora da Projeto RH, Teresa Gama. Segundo a especialista, a situação é delicada porque a percepção de ter alguém “puxando o tapete” pode ser muito subjetiva. Como exemplo, ela cita um questionamento do colega quando o outro está apresentando um projeto ao gestor. “Você pode achar que o colega queria prejudicar a sua apresentação, mas ele só estava fazendo uma avaliação crítica”.

PUBLICIDADE

Dados concretos
Para que a sua percepção não seja equivocada, Maria Bernadete aconselha ouvir a opinião de outros, mas é fundamental que sejam pessoas de confiança e éticas, para evitar fofocas pelos corredores da empresa.

A coach aconselha ainda que o profissional saiba diferenciar questões pessoais das profissionais. Se for voltado à carreira, ela indica que a pessoa busque conversar com o outro e expor o que a está incomodando. “Para isso, é necessário ter humildade”, diz.

Se a conversa não adiantar, Maria Bernadete aponta que o profissional avalie os prós e contras de trabalhar na empresa. Se, realmente, a situação for mais negativa do que positiva e todas as possibilidades de resolver a questão estiverem esgotadas, a dica é que a pessoa se desligue da empresa.

Pensar no profissional
Já Teresa afirma que o profissional não deve tentar resolver o problema por meio do colega mal intencionado. Para ela, a atitude depende de cada situação. Se o colega distorceu o que foi dito ao chefe, o mais aconselhável é contar a sua versão ao líder na hora em que os ânimos se acalmarem. Entretanto, ela acrescenta que é importante esclarecer a situação sem confrontar diretamente o outro. Além disso, a pessoa tem de evitar o tom de queixa.

O conselho da especialista é que o profissional haja da melhor maneira possível em relação ao seu trabalho. “Quando você age com profissionalismo é muito difícil que o outro encontre recursos para te prejudicar. O profissionalismo fala mais alto, se foi implantado uma mentira, logo ela cairá por terra. É fundamental focar a energia no trabalho e no desenvolvimento profissional”, finaliza.