Crise

Número de novas vagas de emprego cai 12,5%; ritmo de contratações também é menor

Segundo levantamento realizado pelo Vagas.com, foram publicadas 45.670 novas vagas de emprego no primeiro quadrimestre ante 52.176 no mesmo período de 2015

arrow_forwardMais sobre
(Wikimedia Commons)

SÃO PAULO – O ritmo de contratação das empresas diminuiu mais ainda no primeiro quadrimestre do ano, apresentando queda de 12,5% no número de novas vagas, segundo levantamento realizado pelo Vagas.com.

Nesse período, foram publicadas 45.670 novas vagas de emprego no portal ante 52.176 no mesmo período de 2015.

“Constatamos quedas de ofertas de emprego em todos os níveis. Esse movimento acontece desde 2014, mas foi acentuado neste ano. Profissionais que atuam em posições de direção, gerenciais e de suporte à gestão foram os mais prejudicados. É um momento bastante delicado e que exigirá um esforço maior de quem não foi afetado pelos cortes”, explica Rafael Urbano, representante da área de Inteligência de Negócios da VAGAS.com.

PUBLICIDADE

Queda superior a 20%
Júniores e trainees foram o público mais afetado, que viram menor quantidade de vagas anunciadas – uma retração de 20,3%. Estagiários, que ainda não possuem vínculos trabalhistas com as empresas, tiveram uma redução de 12,5% nas novas vagas, a menor de todas as categorias avaliadas pelo levantamento.

Para cargos mais altos, como o de direção, a redução de postos também foi intensa, com oportunidades reduzidas em 16,9%. Postos de gestão, como gerentes, supervisores e coordenadores, tiveram uma redução entre 10,7% e 17%.

Trabalhadores de nível técnico, pleno ou sênior tiveram redução de 12,3%, 16,2% e 14% nas novas vagas, respectivamente. “Os níveis operacionais e de auxiliares também sentiram o peso da crise, mas apresentaram quedas inferiores às registradas nos demais cargos avaliados em nossa base”, explicou Rafael Urbano, representante da área de Inteligência de Negócios do Vagas.com.